segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Thank a teacher



Thank a teacher. Teachers inspire greatness and change lives. Take the time to show your appreciation today.

O velho abutre é sábio



"O velho abutre é sábio
e alisa as suas penas
A podridão lhe agrada
e seus discursos
têm o dom de tornar as almas
mais pequenas"

Sophia de Mello Breyner Andresen

domingo, 30 de janeiro de 2011

Poema de agradecimento à "corja"
















"Obrigado, excelências.
Obrigado por nos destruírem o sonho e a oportunidade
De vivermos felizes e em paz.
Obrigado
Pelo exemplo que se esforçam em nos dar
De como é possível viver sem vergonha, sem respeito e sem
Dignidade.
Obrigado por nos roubarem. Por não nos perguntarem nada.
Por não nos darem explicações.
Obrigado por se orgulharem de nos tirar
As coisas por que lutámos e às quais temos direito.
Obrigado por nos tirarem até o sono. E a tranquilidade. E a alegria.
Obrigado pelo cinzentismo, pela depressão, pelo desespero.
Obrigado pela vossa mediocridade.
E obrigado por aquilo que podem e não querem fazer.
Obrigado por tudo o que não sabem e fingem saber.
Obrigado por transformarem o nosso coração numa sala de espera.
Obrigado por fazerem de cada um dos nossos dias
Um dia menos interessante que o anterior.
Obrigado por nos exigirem mais do que podemos dar.
Obrigado por nos darem em troca quase nada.
Obrigado por não disfarçarem a cobiça, a corrupção, a indignidade.
Pelo chocante imerecimento da vossa comodidade
E da vossa felicidade adquirida a qualquer preço.
E pelo vosso vergonhoso descaramento.
Obrigado por nos ensinarem tudo o que nunca deveremos querer,
O que nunca deveremos fazer, o que nunca deveremos aceitar.
Obrigado por serem o que são.
Obrigado por serem como são.
Para que não sejamos também assim.
E para que possamos reconhecer facilmente
Quem temos de rejeitar."


Joaquim Pessoa

(Enviado por Becas)

Barbaridade dos talibans



A barbaridade dos talibans parece não conhecer um fim; estas imagens de Agosto de 2010 e só agora difundidas, mostram a execução de um casal, cujo único crime foi apaixonar-se e querer viver o seu amor. Indo contra todos os preconceitos e repressão no seu país, os amantes foram capturados, apedrejados e executados publicamente pelo seu "pecado".
Até quando continuará o mundo a assistir a esta barbárie? Quantos mais casos destes existem  encobertos dos media?

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Desconcerto do Mundo


"Os bons vi sempre passar
No mundo graves tormentos;
E, para mais me espantar,
Os maus vi sempre nadar
Em mar de contentamentos.
Cuidando alcançar assim
O bem tão mal ordenado,
Fui mau, mas fui castigado.
Assim que, só para mim,
Anda o mundo concertado."

Camões

Perante esta composição de Luís de Camões, de pequena dimensão mas de grande riqueza conceptual, não podemos deixar de constatar a sua actualidade... ontem como hoje, a mesma crise de valores e o mesmo mundo às avessas!

L.A.

Caixa de Pandora


Textos de Paulo Prudêncio, de uma tremenda lucidez e oportunidade; leia aqui e aqui.

Homofobia (também) na adolescência


Sendo que me caiu em cima a delicada tarefa de leccionar Educação Sexual, naturalmente orientei-a para a minha área disciplinar, fazendo integrar esses conteúdos nas rubricas relacionadas com valores e cultura, ética e responsabilidade, liberdade e respeito pelo outro, violência no namoro e prevenção dos conflitos; também as questões de género e os estereótipos sexistas vieram a lume nesta abordagem.

tolerância e inclusão são valores de cidadania para mim inegociáveis. Por isso mesmo, não pude deixar de espantar-me e ficar seriamente preocupada com a homofobia violenta e repugnada de muitos adolescentes do secundário face à questão - sugerida aliás no documento que serve de guião - da aceitação e não-discriminação das minorias sexuais.

Passar o filme "Milk" (cujo subtítulo é "A voz da Igualdade") torna-se por isso impraticável e "Filadélfia" (com Tom Hanks) só do 11º ano para diante, e, mesmo assim, com restrições às turmas de cientifico-naturais, em que a maioria dos alunos está a orientar os seus estudos para áreas da saúde.

Conheço bem atitudes discriminatórias e homofóbicas em pessoas seniores, mas em jovens é um pouco assustador; faz pensar em que tipo de mundo e com que tipo de cidadania vamos conviver no futuro.


 
• Milk é um filme americano, dirigido por Gus Van Sant e baseado na vida do político e activista gay Harvey Milk, que foi o primeiro homossexual declarado a ser eleito para um cargo público na Califórnia como membro da Câmara de Supervisores de S. Francisco.

• SINOPSE:
Cansado de se esconder de si próprio, Harvey abandona o seu bem remunerado emprego em Wall Street e decide "sair do armário", mudando-se para o distrito Castro em São Francisco com o seu amante de longa data, Scott Smith. Na comunidade colorida de Castro, pequenas vitórias conduzem a outras maiores e Harvey ao falar abertamente para uma maioria silenciosa, acaba por ser o primeiro politico assumidamente homossexual a ganhar umas eleições. Quando Harvey Milk foi assassinado em 1978, o mundo perdeu um dos seus líderes mais visionários e uma voz que se elevou corajosamente pela igualdade de direitos.

Estados Unidos Ano: 2008
Género: Biografia, Drama
Duração: 128m
Classificação etária: 16 anos

Sean Penn foi premiado com um Óscar de melhor actor em 2009 pela sua interpretação de Harvey Milk e Tom Hanks já tinha obtido o mesmo prémio em 1994 pela interpretação de um advogado homossexual em "Filadélfia". 

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Dia da memória do holocausto nazi



No dia 27 de Janeiro de 1945 foram derrubados os portões do campo de extermínio de Auschwitz, onde foram presos, torturados e mortos milhares de judeus e resistentes ao regime nazi.
Neste dia Auschwitz foi libertado pelas tropas soviéticas.
Este campo de concentração pertencente à Alemanha, hoje em território polaco, foi transformado em museu em 1947 e está aberto a visitas, cerca de 700 mil por ano, para que o mundo não perca a memória do holocausto.
A data de hoje é comemorada em todo o mundo como um dia de libertação, o International Holocaust Remembrance Day.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Noite de Inverno

 Misty - (c) Em@

Sentado calmamente em frente da lareira,
Uma face fugidia e tímida reflectida no lustro da mobília de madeira,
Afaguei o brocado desmaiado;
O gato preto miou suavemente.

O ar fresco da noite entra através das gelosias.
As estrelas parecem mais próximas sob os pilares do alpendre;
Enquanto me aqueço penso nos que empreendem uma árdua viagem.
Quantos viajantes serão tocados pelo som do tamborim do guarda da noite?

Xin Di

(Trad.: Armanda Rodrigues)
 
(Obrigada Mário Carneiro)

Finlândia - ausência de insucesso escolar?


Diz-se neste estudo que 8,5% dos estudantes foram transferidos para o Ensino Especial e 23% beneficiaram de apoio em part-time dos mesmos serviços.
Será essa a fórmula para acabar com o insucesso na Escola?

Nada de Cultura - vamos falar dos Clássicos

"Esta semana, "Nada de Cultura" irá falar dos clássicos. Numa altura em que as inscrições nas faculdades estão a aumentar nos cursos de letras clássicas é importante saber quando se fala de língua e literatura clássica.

Terão os pedagogos modernos receio dos clássicos? Para falar sobre esta e outras questões Francisco José Viegas convida Raul Rosado Fernandes, professor catedrático jubilado de filologia clássica da Faculdade de Letras e investigador do Centro de Estudos Clássicos, Raul Rosado Fernandes e o professor de literatura portuguesa e brasileira, Abel Barros Baptista.

"Nada de Cultura" , quarta-feira dia 26 de Janeiro, no TVI24, à 01h06 com a apresentação de Francisco José Viegas."

"Nada de Cultura" é o novo programa do TVI24 apresentado por Francisco José Viegas. Conheça o Blogue do programa aqui.

(Enviado por Becas)

APEDE - pedido de divulgação


(Re)começar a mexer

"O núcleo da APEDE de Caldas da Rainha convoca os professores do concelho e, obviamente, todos aqueles que se lhes queiram associar, para uma concentração/vigília, marcada para sexta-feira 28/01/2011, pelas 21:30 h, na Praça da República (praça da fruta) − Caldas da Rainha.
Visa esta iniciativa fazer sentir à opinião pública, ao governo e aos sindicatos signatários de ‘memorandos’ e ‘acordos’ de má memória que os professores não desistiram da sua luta e que:
1. Recusam definitivamente a demência burocrática deste modelo de avaliação;
2. Não aceitam a precarização laboral em curso, apresentada como consequência inescapável da política de redução da despesa pública.
3. Não admitem a usurpação continuada dos seus direitos laborais, que está a conduzir à subversão total do seu estatuto profissional.
Pára de remoer a tua resignação e vem afirmar a tua dignidade!
Traz um amigo."

Publicado em Resistências por APEDE em 25/01/2011

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Óscares de Hollywood


Lista dos nomeados para melhor filme.
Ver todas as categorias aqui.

- BLACK SWAN / Cisne Negro
- THE FIGHTER / Último Round
- INCEPTION / A Origem
- THE KIDS ARE ALL RIGHT / Os Miúdos Estão Bem
- THE KING'S SPEECH / O Discurso do Rei
- 127 HOURS / 127 Horas
- THE SOCIAL NETWORK / A Rede Social
- TOY STORY 3 / Toy Story 3
- TRUE GRIT / Indomável
- WINTER'S BONE / Despojos de Inverno

Pancadão


Só agora vi o dito cujo pancadão: foram 6,8%, a doer, até quando, sabe Deus.
Hipoteca certa de férias e bens culturais, que da comida, roupa e calçado não pode a gente prescindir. E passar frio também não. Não se vê luz alguma ao fundo do túnel...
Trabalhar para não contar tempo de serviço e não progredir, não faz bem o meu género. É como se tivesse voltado de novo ao antigo 8º escalão, ou seja, nos últimos 8 anos trabalhei só porque sim. 

(Imagem daqui)

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Facebook acusado de provocar 28 milhões de divórcios


"O número de divórcios provocados pelo Facebook e outras redes sociais está aumentar. Um estudo realizado por advogados britânicos mostra que o Facebook é apontado em quase todas as causas de separação nos últimos meses.

"Eu já tinha ouvido os meus funcionários a comentar que os clientes têm descoberto cada vez mais informações sobre os seus parceiros no Facebook e acabei por perceber que 20% dos pedidos de divórcio têm uma referência ao Facebook", explicou Mark Keenan, director-geral do Divorcio-Online. Segundo refere o responsável, a razão mais comum parecem ser as conversas sexuais tidas com pessoas com as quais não as deviam ter.
Existem já empresas informáticas que desenvolveram um software que permite espiar os seus parceiros através das redes sociais."

Jornal I-on line

Falta averiguar quantos casamentos já aconteceram por causa da mesma rede social...
Porque quem se divorcia, em geral não é para a seguir permanecer sozinho... digo eu, sei lá!

Eleições presidenciais


“A maior paixão da humanidade é iludir a realidade”
Sigmund Freud, 1856-1939


Quem ganhou as aleições presidenciais foi a abstenção, superior a 50%. Mais exactamente 53, 37%, o que corresponde a 5.139.483 de portugueses.

Só se pode concluir que a participação dos cidadãos é cada vez menor na vida da pólis.
A Democracia está doente, a Cidadania deficiente, ou simplesmente, devemos conjecturar a falência de um modelo de representatividade?

Aníbal Cavaco Silva foi eleito por pouco mais de dois milhões de portugueses; de entre os dez milhões que compõem o país, mesmo excluindo os menores que não votam, assim como os doentes e idosos acamados, não se pode dizer que este número seja muito expressivo, pelo que a real representatividade de Cavaco Silva é mesmo de uma minoria. 

Se a maioria do povo não quer eleger um presidente da República, talvez seja altura de reflectir nas suas razões.

Desde que a participação dos cidadãos na Democracia e as liberdades fundamentais sejam garantidas, não abomino a ideia de uma monarquia parlamentar como as da Escandinávia. Assim neste marasmo suicida é que não! 

Nerfertiti deve voltar ao Egipto


Carta enviada hoje às autoridades de Berlim:

Egipto exige à Alemanha a devolução do busto da rainha Nefertiti

"O Egipto formalizou finalmente, junto das autoridades alemãs, o pedido de devolução do busto da rainha Nefertiti (1370-1330 a.C.), actualmente em exposição no Neues Museum em Berlim, e que foi transportado para a capital alemã em 1913."

Leia a notícia no Público de hoje.

O método natural da Educação


"Devido à natureza do nosso intelecto, ideias gerais devem surgir por meio da abstracção a partir de observações particulares; estas devem, portanto, existir antes das primeiras. Se isso de facto ocorre, como no caso do homem cuja aprendizagem se baseia exclusivamente na sua própria experiência — que não possui professor nem livros —, o indivíduo sabe muito bem quais das suas observações particulares pertencem a, e são representadas por, cada uma das suas ideias gerais. Possui uma perfeita familiaridade com ambos os lados da sua experiência e, assim, lida correctamente com tudo o que se apresenta diante dele. Esse pode ser denominado o método natural da educação."

Arthur Schopenhauer

João Amaral

Desenho (c)João Amaral

Visite o Blogue deste ilustrador e desenhador. Vai ver que vale a pena!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Soneto quase inédito


Aqui vos envio um pouco de poesia...
Bem que podia ter sido escrito ontem...
Tão actual em 1969, como hoje...

Soneto quase inédito

Surge Janeiro frio e pardacento,
Descem da serra os lobos ao povoado;
Assentam-se os fantoches em São Bento
E o Decreto da fome é publicado.

Edita-se a novela do Orçamento;
Cresce a miséria ao povo amordaçado;
Mas os biltres do novo parlamento

Usufruem seis contos de ordenado.

E enquanto à fome o povo se estiola,
Certo santo pupilo de Loyola,
Mistura de judeu e de vilão,

Também faz o pequeno "sacrifício"
De trinta contos - só! - por seu ofício
Receber, a bem dele... e da nação.

JOSÉ RÉGIO - Soneto escrito em 1969.

(Enviado por Becas)

Porque será que hoje só me lembro de sapos?

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Desemprego docente e fim do quadro de escola



O que aí vem pode ser abolutamente calamitoso!

Ciclo de Palestras 100 lições - Convite


A Universidade de Lisboa 2011 - Comemorações do Centenário da Universidade de Lisboa convida-o para a Sessão de Abertura do Ciclo de Palestras "100 Lições" com a presença do Reitor da Universidade de Lisboa, António Nóvoa, do coordenador da acção, António Feijó, e do primeiro palestrante, Adriano Moreira.

Reitoria da Universidade de Lisboa, Salão Nobre
24 de Janeiro, 18H

Programa detalhado em: http://centenario.ul.pt/

(Enviado por Becas)

Tanizaki, Deleuze e Fetichismo - curso livre

 Faculdade de Ciências Sociais e Humanas
10 Fevereiro – 1 de Junho

Organização
Instituto de Filosofia da Linguagem

Inscrições: 17 de Janeiro a 3 de Fevereiro
Docente: Diana Soeiro

Inscrições abertas a todos os interessad
Mais informações sobre o curso aqui e aqui.

Contacto: Instituto de Filosofia da Linguagem: ifl.fcsh@gmail.com

Gabinete de Relações Externas e Comunicação (GREC)

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - FCSH/NOVA
Av. de Berna, 26 C, 1069-061 Lisboa
Portugal
Tel: + 351 217 908 334 Ext.: 1584
E-mail: grec@fcsh.unl.pt
Web: http://www.fcsh.unl.pt/

(Enviado por Becas)



Ciclo de Conferências na Fundação Gulbenkian


A Imagem na Ciência e na Arte


A obra de Sophia de Mello Breyner Andresen 

O novo número da revista Colóquio/Letras é dedicado, em grande parte, à obra de Sophia de Mello Breyner Andresen, no mês em que se realiza o congresso internacional sobre a autora e que decorre nos dias 27 e 28 de Janeiro.

(Enviado por Becas)

Projecto estranhar Pessoa 1º Seminário aberto


Laboratório de Estudos Literários Avançados
FCSH, Universidade Nova de Lisboa
Rede de Filosofia e Literatura
Programa em Teoria da Literatura

Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Instituto de Filosofia da Linguagem
FCSH, Universidade Nova de Lisboa

4 de Fevereiro de 2011
Edifício I&D, sala multiusos 2, piso 4

Programa:

10h00-12h00
Pedro Sepúlveda: Heterónimo(s)?
Humberto Brito: O Conto do Vigário
Rita Patrício: Contra Gaspar Simões
Moderação de Abel Barros Baptista

14h30-16h00
Gustavo Rubim: Forma e Heterónimo. Sobre a necessidade de Ricardo Reis
Jorge Uribe: Contar Caeiro «como realmente é»
Moderação de Humberto Brito

16h30-18h00
António M. Feijó: Meteorologia e Burocracia no Livro do Desassossego
Américo Lindeza Diogo: Objectos Obsoletos e Desassossego
Moderação de Abel Barros Baptista

ENTRADA LIVRE

(Enviado por Becas)

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Fisco francês diz que Uderzo não é um dos autores de Astérix


Era o que faltava: então agora, passados 51 anos Uderzo não é co-autor de Astérix???
Estes gauleses são doidos! Um artista de incontestável talento, aos 84 anos de idade, devia estar bem longe de sofrer um golpe como este, que está muito para além do prejuízo financeiro: põe em causa uma das coisas fundamentais da sua vida: a autenticidade da sua obra. Uma vergonha!


"Para o fisco francês, Albert Uderzo não é um dos co-autores da banda desenhada Asterix, mas apenas «um ilustrador». E exige que este devolva 203.000 euros ao tesouro gaulês.

'O fisco caiu na cabeça de Uderzo' é o título da notícia do Le Figaro online que dá conta que o homem que com René Goscinny criou a aldeia de irredutíveis gauleses recebeu, no dia 27 de Dezembro, uma nota a exigir a devolução de 203.000 euros. O fisco tinha deixado de o considerar autor dos livros de aventuras, mas apenas um «simples ilustrador», o que alterou a sua situação contributiva.

Uderzo, com 84 anos, sabe que não é o primeiro a sofrer tal 'ataque', baseado em questões técnicas. Mas está indignado: «Ao fim de 51 anos de bons e leais serviços retiram-me o direito de ser autor?», questiona. Acrescenta ainda não ser tanto o aspecto financeiro que o incomoda, diz o Figaro, mas «a brutalidade e falta de respeito com o qual, 51 anos depois da criação de Asterix, o fisco acorda e retira-me o direito de ser o co-autor do meu querido pequeno gaulês. Este é um ultraje que não aceito com a minha idade! Contratei um especialista fiscal e vou bater-me novamente» - Uderzo já tinha sido alvo de três inspecções fiscais, em que saiu vencedor.

O jornal falou com um especialista em direitos de autor que considera a questão «absurda». Diz que «há uma dicotomia entre o direito de autor e o direito fiscal baseada em textos que talvez datem do séc. XIX» e que «considerar que Albert Uderzo não é autor de Asterix não faz qualquer sentido; até parece que um inspector fiscal em Bercy (bairro de Paris onde está sediado o ministério da Finanças) não gosta de BD».

É caso para escrever: já não são os romanos... 'Estes gauleses estão loucos!'"

In Jornal SOL

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Aniversário de Paul Cézanne

Faria hoje 172 anos um dos mais fabulosos pintores pós-impressionistas franceses.


"Paul Cézanne (Aix-en-Provence, 19 de janeiro de 1839 — 22 de outubro de 1906) foi um pintor pós-impressionista francês, cujo trabalho forneceu as bases da transição das concepções do fazer artístico do século XIX para a arte radicalmente inovadora do século XX. Cézanne pode ser considerado como a ponte entre o impressionismo do final do século XIX e o cubismo do início do século XX. A frase atribuída a Matisse e a Picasso, de que Cézanne "é o pai de todos nós", deve ser levada em conta." (Wikipédia)






segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O relativismo da morte


Tinha jurado não falar mais da morte de Carlos Castro e até suprimi deste Blogue um comentário sobre a barbaridade do seu assassinato e a possível premonição a ele associada. Passei uma semana (assim como muitos cidadãos deste país) a ouvir sem cessar uma verdadeira intoxicação noticiosa em todos os canais nacionais sobre tão terrível acontecimento. 

Que foi sinistro, foi, estranho também, mas é melhor não repisar nem chafurdar naquilo que é macabro, sob pena de cair na pretensão de querermos ser todos psiquiatras forenses ou investigadores criminais. Corremos ainda o risco de ter pesadelos com Renato Seabra a trucidar o corpo a Carlos Castro durante horas, depois de este ter - quem sabe? - mortificado a alma daquele, ao ponto de trazer à superfície o que de pior em si havia, num 34º andar de New York!


O impacto desta ocorrência foi suficientemente grande para ter feito quase passar despercebida a morte de alguém muito mais importante para os destinos de Portugal nos últimos 30 e tal anos, a do Coronel Vítor Alves, que, de modo algo chocante, foi perfeitamente secundarizada em termos mediáticos face à tragédia de Carlos Castro. Mesmo o presumível autor do crime merece honras de muitos blocos noticiosos, assim como os seus parentes e amigos, até à exaustão.

É caso para reflectir: estará Portugal mais sensível às crónicas do cor-de-rosa, que de repente se tornam num filme negro, do que à História recente de um país em que alguns homens como Salgueiro Maia e Vítor Alves, por obra valorosa como foi o 25 de Abril, se deviam da lei da morte libertar? 

Fernando Pessoa, John Lennon e Sebastião Salgado



Enviado por L.A.

A história repete-se


Diálogo entre Colbert e Mazarino durante o reinado de Luís XIV

Giulio Raimondo Mazzarino, mais conhecido como Cardeal Mazarino, nasceu em 1602 em Itália mas radicou-se em França, sucedendo no cargo de primeiro-ministro o Cardeal Richelieu, de 1642 até à sua morte em 1661, no reinado de Luís XIV.
Foi seu ministro de Estado e da Economia Jean-Baptiste Colbert, que ficou conhecido pela sua teoria do mercantilismo e das práticas de intervenção estatal na economia.
Eis um diálogo travado entre os dois, em pleno século XVII:


"Colbert:

- Para encontrar dinheiro, há um momento em que enganar já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é que é possível continuar a gastar quando já se está endividado até ao pescoço.

Mazarino:

- Se se é um simples mortal, claro está, quando se está coberto de dívidas, vai parar à prisão. Mas o Estado... o Estado, esse, é diferente!!! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se... Todos os Estados o fazem!

Colbert:

- Ah sim? O Senhor acha isso mesmo? Contudo, precisamos de dinheiro. E como é que havemos de o obter se já criámos todos os impostos imagináveis?

Mazarino:

- Criam-se outros.

Colbert:

- Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.

Mazarino:

- Sim, é impossível.

Colbert:

- E então os ricos?

Mazarino:

- Os ricos também não. Eles não gastariam mais. Um rico que gasta faz viver centenas de pobres.

Colbert:

- Então como havemos de fazer?

Mazarino:

- Colbert! Tu pensas como um queijo, como um penico de um doente! Há uma quantidade enorme de gente entre os ricos e os pobres: os que trabalham sonhando em vir a enriquecer e temendo ficarem pobres.

É a esses que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais!

Esses, quanto mais lhes tirarmos mais eles trabalharão para compensarem o que lhes tirámos. É um reservatório inesgotável."

Este tipo de conversa poderia ter ocorrido em 2010 na altura da aprovação do Orçamento de Estado, entre Teixeira dos Santos e José Sócrates. 


domingo, 16 de janeiro de 2011

José Ruy e a história do "Mosquito"


"Ainda em actividade, é o autor português com mais álbuns publicados, tendo iniciado o seu percurso aos quadradinhos no "Papagaio", com apenas 14 anos. Depois, passou por quase todas as publicações nacionais, entre as quais o "Mosquito", de que é um dos últimos desenhadores vivos, cujas memórias agora evoca."

«Comemorámos o 75º aniversário da saída d’O Mosquito 1ª série, e o 50º aniversário do que eu editei com o Ezequiel Carradinha, que curiosamente coincidiram», adiantou-me hoje o José Ruy.


Para os amantes da Banda Desenhada, a história toda aqui.

Encerramento da Expo Xangai 2010



Enviado por Tita Fan

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Pérola de Cultura na Peace Globe Gallery


Já deixei aqui testemunho da minha luta pela Paz mundial. Pouco a pouco e à minha maneira, acho que como cidadã, devo ser interventiva e participativa. Há combates que nunca podem deixar de ser travados: são aqueles pelos valores que a nossa consciência não deixa passar ao lado e que fazem de algumas vidas percursos com algum sentido. Este propósito passa para o ano de 2011.

Mimi Lenox, blogger americana, foi a pioneira de um movimento pela Paz Mundial na blogosfera, em que todos os anos há um dia em que muitos de nós se juntam nesse objectivo comum. No ano que acaba de findar foi no dia 4 de Novembro e a Mimi não quis deixar de homenagear a Pérola de Cultura.

O Peace Globe, que personalizei com a ajuda gráfica de Luís Diferr, mereceu honras de figurar como selo da Pérola de Cultura, que foi classificado como o Blogue participante nº 1997, passando a constar da Peace Globe Gallery a 29 de Dezembro de 2010. Ver aqui.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Blog temporariamente encerrado

Desenho do Tacci

O frio e o Inverno trazem-me sempre coisas muito desagradáveis... Devo mesmo ter nascido no sítio errado!

domingo, 9 de janeiro de 2011

Provérbio Eskimó


"May you have warmth in your igloo, oil in your lamp, and peace in your heart!"

Obrigada à minha amiga Li Kruse, da Suécia, que muito sofre com o frio e visivelmente procura tudo para se convencer de que há coisas piores...

Week-end tube - Yanni

sábado, 8 de janeiro de 2011

Sucesso dos alunos depende pouco de quem são os pais?


Carro de Bois (c)Oscar Pereira da Silva

O sucesso dos alunos na escola parece não depender muito do grau académico dos pais, segundo um estudo do ISEG relatado aqui. O relatório é alicerçado sobre os resulatdos dos exames nacionais e o posterior cruzamento de dados com a profissão e grau académico dos pais. Enfim, as estatísticas têm o seu valor, mas não em termos absolutos.

A minha experiência dos últimos 20 anos com alunos de zona periférica com cursos de Novas Oportunidades e Tecnológicos e a posterior mudança para uma escola urbana onde chega a haver 90% de pais licenciados ou de grau académico superior, atesta exactamente o contrário desta teoria.

As condições socio-económicas, nunca foram independentes dos resultados obtidos pelos alunos, na medida em que os meios culturais a que têm fácil acesso os predispõem de forma mais evidente à aquisição e produção de conhecimentos. Diz-me a experiência que os alunos mais motivados a trabalhar e obter bons resultados dispõem, em geral, de um ambiente familiar onde a tradição académica se faz mais fortemente sentir. O que não quer dizer, evidentemente, que não haja excepções, porque elas sempre existiram e existirão.

Há casos em que os alunos, à partida, disporiam de todas as condições para o sucesso, mas nem que a Escola e os professores façam malabarismos pedagógico-didácticos os conseguem motivar a um maior empenhamento no trabalho. Porque não há dúvida: para o sucesso é preciso haver bom trabalho por parte dos professores, mas ele não chega se não houver resposta e esforço por parte dos alunos. Afinal ninguém consegue puxar o carro sozinho...!

Leiam o artigo e comentem com as vossas experiências.

Valente Malangatana!


Malangatana Valente Ngwenya, falecido no dia 5 de Janeiro, conforme referi aqui, teve ontem a sua despedida de Portugal, com uma homenagem no Mosteiro dos Jerónimos, onde compareceram muitas personalidades da vida cultural e política.

Na mesma noite a SIC Notícias exibia um documentário, repetido hoje, com Malangatana na sua casa/atelier em Moçambique, com entrevistas e reportagem sobre a sua obra e a sua infância em Matalana, a sua terra-natal.

Malangatana cantou em dialecto local e contou histórias do seu percurso de vida e das várias profissões que exerceu antes de ter condições para se dedicar em exclusivo às artes plásticas. De entre elas destacou por várias vezes e com visível carinho o facto de ter sido "criado de bebés". Suponho que com isso ele queria dizer o mesmo que os americanos chamam "baby-sitter" e os ingleses "nanny". Além disso foi cozinheiro, barman, latoeiro e apanhador de bolas de ténis.



Malangatana salientou o facto de a sua pintura se inspirar nas histórias tradicionais, aquelas que a sua avó lhe contava e nos contos populares que foi conhecendo. Além de pintor e escultor foi poeta e resistente no tempo do colonialismo, tendo chegado a ser preso pela PIDE. Malangatana representa uma forte presença na vida na cultura moçambicana, mas também em toda a lusofonia.

Uma vez questionado por um antigo patrão, num colóquio, sobre a natureza da sua expressão plástica  sobre se seria "naïf", "surrealista" ou "dadísta", classificações que em 1960 Malangatana ignorava por completo, respondeu simplesmente: "Eh, patrão, minha nome não é surrealista, minha nome é Valente"!