sábado, 30 de abril de 2011

O melhor do dia de ontem


Entre o aborrecimento (já previsto) que me causou a decisão (mais política do que jurídica) do Tribunal Constitucional sobre a avaliação dos professores e as dúvidas sobre a canonização de João Paulo II, o melhor do dia foi o casamento de conto de fadas da era moderna do herdeiro do trono do Reino Unido.


Só se fala de Kate Middleton, agora duquesa ou princesa, cujo vestido de noiva era muito inspirado no de Grace Kelly, etc, etc.


Mas ninguém fala do príncipe? Tão bonito, cheio de valores e tal, solidário, amigo dos pobres e desvalidos, valente e tudo? Andou pela África acudindo à SIDA e pelo Chile aos desalojados do terramoto e até limpou latrinas!


Que importa que agora dê boleias ao irmão em helicóptero e saia do copo-de-água (por terras de Sua Majestade chama-se wedding breakfast) a rugir un Aston Martin, tal qual James Bond com uma das suas girls? Só lhe falta mesmo pedir um dry martini e piscar o olho!


Eu cá gosto de William e até o acho parecido com a sua mãe, que foi colhida pela tragédia tinha ele 15 aninhos, amadurecidos à força de pai seco e madrasta, além de internato à boa maneira inglesa, e de crescer a poder da endurance... 


Desejo que o jovem casal seja muito feliz e que consiga quebrar o enguiço da casa real britânica em matéria de casamentos infelizes, ora pois!

(Fotos da web via revista Sábado)

O Papa João Paulo II canonizado?

Pareceu-me ouvir esta notícia do Vaticano ontem. Ao longo da história do catolicismo muitos têm sido aqueles que, por uma razão ou por outra, levam a chancela de santos pela mão dos doutores da Igreja. Sempre que o Vaticano se pronuncia, eu tenho arrepios. Desta vez são mesmo dúvidas aquilo que me assalta:
- quem pode, em consciência, ter critérios fiáveis para considerar alguém como santo?
Supondo que Deus exista, só ele poderia definir os padrões da santidade, uma vez que a qualidade de ser santo é transcendente ao humano!
Para amanhã, domingo, está previsto o primeiro passo para a canonização, que é beatificação.
Para que João Paulo II seja considerado santo é necessária a confirmação de um novo milagre.
Por agora, e enquanto esse milagre não for encontrado, o Papa será beato, mas não santo.
Veja aqui a notícia.

Ela está a rir-se. Claro!


O espúrio e iníquo modelo de avaliação revogado na AR foi considerado inconstitucional pelo Tribunal Constitucional. Não admira que Isabel Alçada se esteja a rir. Enquanto ela ri, os professores engolem mais uma humilhação decorrente de mais esta derrota.

Certamente foram cometidos erros estratégicos. Os partidos da oposição e os Sindicatos têm, a meu ver obrigação de reflectir sobre os erros cometidos e propôr as estratégias adequadas.
Sobre o Presidente da República, a única coisa que posso dizer é que nunca tive confiança na figura, como tal, não posso dizer que estou desiludida.

Em todo este processo há falta de seriedade, certamente interesses escusos, clientelismos, panelinhas e faltas de lisura. Apurem-se as responsabilidades, pois não há paciência nem energia para levar anos e anos de lutas inglórias, em que os professores vêem sistematicamente a sua vida piorar, o seu salário diminuir, a sua progressão congelar e a sua carreira regredir! Os muitos milhares de reformas antecipadas e as muitas baixas psiquiátricas são o sintoma óbvio do ataque sem precedentes que a classe docente tem vindo a sofrer nos últimos anos dos governos destas pessoas que, de socialistas, efectivamente, nada têm.

Ler a notícia aqui.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Evocar Mário de Sá Carneiro


"Um pouco mais de sol - eu era brasa,
Um pouco mais de azul - eu era além
Para atingir, faltou-me um golpe de asa ...
Se ao menos eu permanecesse aquém ...

Assombro ou paz ? Em vão ... Tudo esvaído
Num grande mar enganador d´espuma;
E o grande sonho despertado em bruma,
O grande sonho - ó dor ! - quasi vivido ...

Quasi o amor, quase o triunfo e a chama,
Quasi o princípio e o fim - quasi a expansão ...
Mas na minh´alma tudo se derrama ...
Entanto nada foi só ilusão !

De tudo houve um começo ... e tudo errou ...
- Ai a dor de ser-quasi, dor sem fim ...
Eu falhei-me entre os mais, falhei em mim,
Asa que se elançou mas não voou ...

Momentos de alma que desbaratei ...
Templos aonde nunca pus um altar ...
Rios que perdi sem os levar ao mar ...
Ânsias que foram mas que não fixei ...

Se me vagueio, encontro só indícios ...
Ogivas para o sol - vejo-as cerradas;
E mãos d' heroi, sem fé, acobardadas,
Puseram grades sobre os precipícios ...

Num ímpeto difuso de quebranto,
Tudo encetei e nada possuí ...
Hoje, de mim, só resta o desencanto
Das coisas que beijei mas não vivi ...

Um pouco mais de sol - e fora brasa,
Um pouco mais de azul - e fora além.
Para atingir faltou-me um golpe d´asa ...
Se ao menos eu permanecesse aquém ..."

Paris, 13 de Maio de 1913

Poema retirado daqui mesmo.

Nascimento: 19 de Maio de 1890, Lisboa
Morte: 26 de Abril de 1916, Paris

Para saber mais sobre este poeta clique aqui.

Giardino em tradução portuguesa

Capa: (c)Vittorio Giardino/Edições ASA

RAPSÓDIA HÚNGARA é a primeira obra de Vittorio Giardino traduzida para português a partir do texto original italiano e foi agora publicada pelas Edições ASA em co-edição com o Público.

A acção passa-se em Budapeste no ano de 1938, nos antecedentes da 2ª Guerra Mundial.
Max Fridman é um investigador, discreto e eficaz, que acaba por se envolver, embora contra a sua vontade, com uma rede de espionagem internacional, por ter sido feita chantagem sobre a sua filha de dez anos...

À mistura com as investigações, claro está, nos romances de Giardino, nunca faltam as relações escaldantes com belas mulheres, assim como episódios picarescos e de bom humor, à boa maneira das grandes bandas desenhadas franco-belgas, de quem este autor italiano muito se aproxima, quer no estilo narrativo, quer na linha gráfica.

Giardino é, em todos os aspectos, um grande autor de Banda Desenhada, para mim um dos melhores da contemporaneidade. Recomenda-se a leitura deste livro e uma apreciação detalhada dos desenhos.

25 de Abril, 37 anos depois


Esperamos que todos os leitores e amigos tenham tido uma Páscoa Feliz.
Desejamos ainda que tenham tido um excelente dia 25 de Abril: aqueles para quem a data faz parte das suas memórias, ou outros que, não sendo ainda nascidos, a adoptaram como um símbolo da liberdade de que podem gozar e da democracia em que vivem. 

A Pérola de Cultura teve de suspender temporariamente as suas publicações por razões imperativas. Porém, já fez escola e tem discípulos à altura de continuar este trabalho de divulgação cultural e evocação de efemérides e perfis de personalidades ligadas à Cultura. Eles são os Criadores d'Arte e o 25 de Abril está amplamente comemorado por estes amigos, cujo Blogue a Pérola de Cultura recomenda vivamente.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

"Portugal" foi publicado há um ano


Foi lançado há um ano nas Éditions Casterman o álbum "Portugal" de Luís Diferr, o nono da sua autoria.


Neste caso trata-se de uma co-autoria com o já falecido Jacques Martin, o qual, devido a dificuldades de saúde já fez somente a Introdução do livro, ficando todos os restantes textos e desenhos a cargo de Luís Diferr.


"Portugal" não é uma Banda Desenhada, embora o estilo de desenho seja nesse registo. Esta obra visa a História de Portugal romanceada antes do terramoto de Lisboa em 1755. 


"Portugal" foi posteriormente publicado em língua portuguesa pelas Edições ASA em Junho de 2010. Do lançamento da edição original demos conta aqui. Pode saber mais sobre o autor e a sua obra aqui.

Imagens: (c) Jacques Martin - Luís Diferr / Éditions Casterman, 2010

Dia internacional do café

Já contámos a história do café aqui e aqui.

Eyjafjallajökull espirrou há um ano

O vulcão islandês teve a 14 de Abril de 2010 a sua segunda erupção no espaço de um mês e foi o caos na Europa.
Os islandeses, a braços com uma crise de bancarrota, tiveram ainda de enfrentar toda a destruição de casas, estradas e campos de cultivo que o desastre causou. Muitos animais foram afectados pela inalação de cinzas e falta de pastos verdes para se alimentar.
O tráfego aéreo bloqueado deixou o país quase isolado e as companhias de aviação europeias perderam milhões de euros.
Assim se vê, tal como agora no Japão, que a Natureza pode mais do que o Homem e não adianta medir forças com ela.
No ano passado este Blogue comentou o fenómeno aqui.
O canal de televisão National Geographic transmite hoje às 20:40 um programa especial para assinalar a passagem de um ano sobre este acontecimento na Islândia.

O tema do beijo na pintura

Francesco Hayez - the kiss

Tomasz Rut

 *
(* Não foi possível identificar a autoria desta pintura)

Gustave Klimt - The Kiss (detalhe)

René Magritte - Os amantes

Silva Palmeira

Giotto - O beijo de Judas

Um português raro


Destes, nasceu uma vez UM!

Era oriundo de famílias aristocráticas e descendente de flamengos. O pai deixou de lhe pagar os estudos e deserdou-o.
Trabalhou, dando lições de inglês para poder continuar o curso.
Formou-se em Direito.
Foi advogado, professor, escritor, político e deputado.
Foi também vereador da Câmara Municipal de Lisboa.
Foi reitor da Universidade de Coimbra.
Foi Procurador-Geral da República.
Passou cinquenta anos da sua vida a defender uma sociedade mais justa.
Com 71 anos foi eleito Presidente da República.
Disse na tomada de posse: "Estou aqui para servir o país. Seria incapaz de alguma vez me servir dele..."
Recusou viver no Palácio de Belém, tendo escolhido uma modesta casa anexa a este.
Pagou a renda da residência oficial e todo mobiliário do seu bolso.
Recusou ajudas de custo, prescindiu do dinheiro para transportes, não quis secretário, nem protocolo e nem sequer Conselho de Estado.
Foi aconselhado a comprar um automóvel para as deslocações, mas fez questão de o pagar também do seu bolso.
Este SENHOR era Manuel de Arriaga e foi o primeiro Presidente da República Portuguesa.

(Enviado por Becas)

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Dia Mundial do Beijo

"Le Baiser de L'Hotel de Ville" - foto de Robert Doisneau
(Enviado por L.A.)

Otelo Madaleno

Otelo Saraiva de Carvalho, um dos militares obreiros do 25 de Abril diz que se soubesse o que o país é hoje, não teria feito a revolução. Era realmente só o que faltava ouvir!
Um auto de arrependimento? 
Era então melhor que continuássemos até hoje no regime do Estado Novo????
Onde irá terminar a crise (que é política, social e ética) não sei, mas a insanidade e os disparates deste calibre é que não são mesmo desejáveis.

Para ler aqui.

Tudo começou há 50 anos com Yuri Gagarin


Foi a 12 de Abril de 1961 que se iniciou a saga "Star Trek".
Mas a verdadeira!
Abriu-se uma nova era para o mundo: a das viagens espaciais. E nada voltaria a ser como dantes.

Iuri Alekseievitch Gagarin (em russo: Юрий Алексеевич Гагарин, 9 de março de 1934 — 27 de março de 1968, foi um cosmonauta soviético e o primeiro homem a viajar pelo espaço, em 12 de Abril de 1961, a bordo da Vostok I, uma nave que pesava 4 725 quilos.
(Wikipédia)


Para saber mais clique aqui.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Japão um mês após o Tsunami


Já demos conta deste projecto aqui.
O site que tomou esta iniciativa de solidariedade é francês e encontra-se aqui.

Entretanto, já terminou o prazo para o envio de ilustrações de autores/desenhadores que desejassem participar no leilão de ilustrações a favor do Japão. Contudo, continua a ser possível colaborar neste projecto, enviando as suas criações para publicação no Blogue.

A Pérola de Cultura e o Blogue de Luís Diferr enviaram as duas ilustrações abaixo, como oferta a favor das vítimas da catástrofe do dia 11 de Março no Japão, sobre a qual se completa hoje um mês.

Fica aqui a nossa homenagem a todos esses homens e mulheres de muita coragem, que enfrentam a enorme destruição das suas casas e dos seus postos de trabalho e também a nossa admiração pela sua postura cívica e ética exemplares.

Perante todos os que desaparecerm na tragédia, o nosso silêncio reverencial.

Que os desenhos possam expressar aquilo que as palavras não conseguem dizer.

Lelé Batita e Luís Diferr

(Veja as imagens do antes e do depois aqui).

domingo, 10 de abril de 2011

Ilustração para o Projecto Tsunami 1

"SENDAI" - Desenho a lápis e coloração em Phtoshop (c)Luís Diferr

(Clique sobre o desenho para ampliar)

Enviado para o site TSUNAMI, LE PROJET, a favor das vítimas no Japão.

Ilustração para o Projecto Tsunami 2

"HOPE" - Desenho a lápis: (c)Lelé Batita
Coloração em Photoshop de (c)Luís Diferr 

(Clique sobre o desenho para ampliar)

Enviado para o site TSUNAMI, LE PROJET, a favor das vítimas no Japão.

A falocracia italiana, verdadeira tragédia de um país.

(Cartoon de autoria desconhecida)

"La fallocrazia "italica", vera tragedia del paese" por Domenico Condito.
Para ler em Utopie Calabresi

Acéfalos ou com a mente dominada, tanto faz!

Cartoon de (c)Henrique Monteiro

Que há bruxas, há...

Sócrates azarado? No Cachimbo de Magritte.

Kim-Il-Sócrates

Poderia ser esta a nova estátua a erguer em Matosinhos, tal o culto da personalidade ao líder incontestado.

sábado, 9 de abril de 2011

O mundo maravilhoso dos fractais



O Departamento de Matemática e Ciências Experimentais da minha escola levou a cabo uma actividade para os alunos do secundário no âmbito da Geometria Fractal.

Tive o privilégio de ser convidada para participar nesta actividade com duas das minhas turmas, uma de Ciências, outra de Artes.

Apesar de todos estes alunos terem Matemática, a sua abordagem e motivação para a actividade revelaram-se de modos bastante distintos, dadas as especificidades da sua vocação.

Gostei muito de aprender a fazer réplicas de fractais em fimo (um material semlhante à plasticina, mas que se pode cozer no forno) e partilhar com os alunos o gosto pela experimentação.

Fiquei a saber que o criador da Geometria Fractal foi Benoit Mandelbrot (nascido em 1924) e que o fractal é uma forma em que a parte é semelhante ao todo e se pode replicar infinitamente. Segundo este pioneiro, a geometria fractal permite  "tender para o infinito" em cada ponto do objecto geométrico, por repetição das mesmas operações.
Os fractais podem ser encontrados na Natureza em diversas formas. Foi dado o exemplo da couve-flor, dos bróculos, dos girassóis ou dos cristais de gelo.




Muitas outras formas evocativas da Geometria Fractal podem ser encontradas na Natureza.

Ocorreu-me de imediato a forma do nautilus, com uma concha cujo desenho me agrada particularmente. Ainda vou pensar em observar o caso do polvo e falar com as colegas de Matemática a respeito da sua forma...


Os fractais estão hoje em dia a ser também explorados digitalmente por diversos artistas plásticos.
  


Para ouvir a respeito desta temática o Professor Carlos Fiolhais da Universidade de Coimbra e um dos editores do Blogue De Rerum Natura, clique aquiEste cientista chama ainda a atenção para o movimento dos turbilhões, que acontece por exemplo nos furacões e após os tsunamis, que são sinais do caos que existe na Natureza e no Universo.

Kanagawa by Hokusai

O meu agradecimento às colegas de Matemática por me terem proporcionado a oportunidade de descobrir o mundo maravilhoso dos fractais. Foi para mim uma belíssima lição, que só veio confirmar uma convicção há muito enraizada no meu espírito: não há contradição alguma entre a Ciência e a Arte. E a Filosofia, abelhuda que é, quer saber tudo!