sexta-feira, 8 de março de 2013

Man, I feel like a woman!



Há que valorizar algumas das coisas boas que ainda temos: por exemplo, a liberdade de nos vestirmos, maquilharmos e pentearmos como queremos, seja pela moda, pelo gosto, ou para agradar aos nossos companheiros. Temos a liberdade de ter amigos do sexo oposto sem que isso seja obsceno ou criticável. Podemos ir ao café e estar com amigos e grupos, sem que isso seja socialmente condenado. Podemos escrever, falar, comunicar e ir a manifestações. Para chegar até aqui, houve atrás de nós gerações e gerações de mulheres e homens sem esses direitos que lutaram para que nós deles pudéssemos vir a usufruir. Temos a liberdade de escolher uma carreira e tentar encontrar um emprego compatível com as nossas aptidões. Temos a liberdade de poder tirar carta de condução e ir onde queremos; as mulheres em Portugal conquistaram, a poder de muitas lutas o direito ao voto e outras formas de paridade. Hoje há mulheres taxistas, para-quedistas, condutoras de camião, pilotos de aviação, polícias, atletas de alta competição, juízas... Valorizemos aquilo que ainda temos e que conseguimos; lutemos para vir a conseguir ainda maior paridade e não permitamos que ninguém nos retire aquilo que é e será nosso por direito próprio. 
Bom Dia das Mulheres!

1 comentário:

  1. Sábias palavras. Quem não conheceu por experiência própria ou por aprendizagem "o proíbido" não valoriza o que tem nem admira quem sofreu na pele e mesmo assim lutou e resistiu. Conhecer a história e divulgar sempre que possível e a qualquer pretexto é indispensável. Mesmo em Portugal temos muitas lutadoras de quem pouca gente conhece o percurso. Enfim, nestes dias lá se vai fazendo alguma coisa...bj

    ResponderEliminar