quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Hoje é o dia do animal


A Natureza é sábia e os ecossistemas não existem por acaso. A existência das espécies animais faz parte de um todo orgânico que existe independentemente de gostos ou vontades. A matança indiscriminada de animais pode pôr em risco esse equilíbrio precário.
Algumas espécies, não obstante o seu tamanho ou aspeto, por feroz que possa parecer, são por vezes muito sensíveis, podendo morrer em situação de desequilíbrio nesses ecossistemas que os suportam. Alguns animais sofrem sério risco de desaparecer do planeta por alterações climáticas ambientais ou ecológicas. Mas em muitos casos é pela mão do homem que o seu habitat é destruído, originando escassez de alimento ou falta de abrigo e proteção.
Estou a referir-me por exemplo à desflorestação (muitas vezes por fins comerciais como já aconteceu na Amazónia), às caçadas desportivas (para fins turísticos, em que se mata animais não para comer, mas por prazer), ao tráfico de marfim e outras práticas ilícitas, como a captura das barbatanas dos tubarões (para fazer sopa) ou os chifres do rinoceronte (para fazer produtos pretensamente afrodisíacos e outros disparates afins), ou às pescas desregradas e excessivas de determinadas espécies. 
Era tempo de começarmos a aprender que os animais não existem para nosso deleite e nem devem estar simplesmente ao nosso serviço para trabalho ou divertimento (caso das touradas), nem para nosso alimento, como nas criações intensivas, por vezes em condições de uma enorme crueldade, quase a atingir a barbaridade, onde os animais ficam loucos de tanto comer e não ter silêncio e escuridão para poder dormir...
Era tempo de deixarmos de ver nas ruas e estradas animais de companhia abandonados pelos seus donos nas férias e pensarmos na vida que há muito tempo andamos a retirar aos animais selvagens, privando-os de uma existência natural, e em devolver-lhes um pouco da dignidade e a liberdade a que têm direito. 

A Costa Rica já começou a tomar algumas medidas no sentido de proteger a vida selvagem. Ler aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário