sábado, 14 de dezembro de 2013

António, guardador de sonhos

Composição gráfica de Luís Diferr

Contigo me habituei a entrar para dentro da tela e sonhar acordada, com heróis, fadas e anões, animais que falavam, imperatrizes, reis e soldados que escreveram a História com glórias e paixões ou feitos valorosos.
Até nas infantis brincadeiras, o Cinema era o nosso cenário preferencial: o Mabé era o cowboy, eu a rapariga e tu o nosso cavalo bom. Às tuas cavalitas percorríamos montes, vales e ribeiras, atrás dos Índios ou a fugir deles. As tropelias acabavam sempre com os três no chão do quarto de brincar, contigo exausto, nós felizes e perdidos de riso.
Contigo aprendi a amar a arte, a magia, a fantasia do Cinema. Contigo aprendi a ver, intuir e ler nas entrelinhas, captar a expressão dos olhares, os subentendidos que, num tempo de trevas e medo, me ensinaste a compreender.
Aprendi a imitar a beleza singela, mas também a apreciar a altivez feminina, orgulhosa, das divas do Cinema que o glamour de Hollywood soube tão bem cultivar.
Mas também sofri com os dias a preto e branco dos tenebrosos anos da Itália do pós-guerra ou dos dramas passionais de Rossellini. Amei com Gianni Morandi, chorei com Lara e Jivago, dancei com Rita Pavone, aprendi o que era a subtileza das expressões com James Bond, a elegância discreta com Ursula Andress, o gosto pelas viagens com David Lean… e sei lá, tantas outras coisas!
Entretanto, tu que adoravas Virgínia Mayo e Erroll Flynn, tornavas-te num verdadeiro espadachim pela difusão da Cultura, um Robin Hood da 7ª Arte, levando generosamente sonhos, evasão e fantasias a povos isolados e ingénuos, quantas vezes circunscritos aos horizontes de um quotidiano opressor.
Obrigada, Pai, pela tua luta, pela tua tenacidade, a que alguns chamam teimosia e eu chamo persistência. Aquela persistência que só os que sabem ter razão conseguem levar por diante.
Valeu a pena teres sido um guardador de sonhos durante estes 50 anos. E parares, de vez em quando, para olhar a Lua ou fazer um verso.

1 comentário:

  1. Muito belo o texto. Como devem estar orgulhosos um do outro! Bjs e felicidades! Que o girassol continue procurando e achando o seu sol. Tita Fan

    ResponderEliminar