quinta-feira, 19 de julho de 2012

"Demasiado grave" por Mário Carneiro

"Fazer política não pode ser sinónimo de desprezar ou sinónimo de maltratar ou sinónimo de ignorar as pessoas. Se assim não for, o exercício da política transforma-se num expoente de perversidade e de iniquidade. 
Fazer política sob o comando de uma folha de Excel é fácil, contudo, é profundamente estúpido e perigoso: salvam-se os números, mas destroem-se as pessoas.
Desgraçadamente, para grande parte dos portugueses, é sob este paradigma político que vivemos."
Ler aqui o artigo completo.

(Pintura cujo autor não foi possível identificar)

Sem comentários:

Enviar um comentário