segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Revisitar a Dinamarca





Com um frio de bater os dentes, ainda assim me apetecia estar por estes dias na pátria de Karen Blixen e da cerveja Carlsberg.

Reencontrar Hamlet, Hans-Christian Andersen e Soren Kierkegaard já seriam motivos suficientes, não fora a paixão maior que tenho por aquela miúda que jaz, imune ao frio, empoleirada numa pedra à beira do porto...


"A 'Pequena Sereia' é um conto de Hans Christian Andersen.

Nele, uma pequena sereia, apaixonada por um homem mortal, recorre a uma bruxa para que possa assumir uma forma humana e assim aproximar-se do seu amado. No processo acaba por abrir mão da sua imortalidade e perde a capacidade de falar. Para que o encantamento se tornasse permanente, a pequena sereia deveria conquistar o amor do seu escolhido; caso contrário, haveria de se transformar em espuma do mar, algo mais terrível que a própria morte, uma vez que as sereias não têm alma, não podendo assim morrer.

A sereiazinha acaba por falhar o seu propósito. Comovida com a sua situação, as suas irmãs fazem um trato com a bruxa do mar. Em troca das suas belas cabeleiras, a bruxa dá-lhes uma faca, com a qual a pequena sereia deveria matar o seu amado. Desta forma, estaria livre do seu triste fim. Contudo, ela, em nome do amor, abdica da própria existência e, no fim, desaparece nas águas em forma de espuma do mar."


Wikipedia

A estátua da Pequena Sereia em bronze é de 1913, da autoria do escultor Edward Eriksen, que usou a sua mulher como modelo.

Sem comentários:

Enviar um comentário