terça-feira, 29 de dezembro de 2009

"Epifania esta noite na 5 de Outubro"?


A menos que haja alguma "epifania esta noite na 5 de Outubro", segundo a expressão de Paulo Guinote, tudo leva a crer que será muito difícil sair algum acordo assinado entre os Sindicatos e o Ministério da Educação.

Na TVI 24 há pouco em directo com Mário Nogueira da Fenprof e João Dias da Silva, Paulo Guinote fez questão de sublinhar a importância que tem o esclarecimento cabal junto da opinião pública das dificuldades pelas quais os professores estão a passar em termos de carreira e, sobretudo, em termos de estrangulamento salarial, salientando que, nas Escolas, todos, à excepção dos Directores e Coordenadores de Departamento, desenvolvem exactamente as mesmas funções: "um professor do 10º escalão não manda um do 3º ir tirar fotocópias ou os dos escalões inferiores irem para a caserna".

Evidentemente, esta ironia refere-se à desastrada comparação que Maria de Lurdes Rodrigues fez da carreira dos professores com os quartéis, tentando equiparar os titulares aos generais. Paulo Guinote foi claro quanto aos prejuízos que advirão da aplicação deste novo Estatuto, dizendo que mais parece que o Secretário de Estado da Educação "é um testa de ferro do Ministério das Finanças".

Mário Nogueira fez questão de lembrar que, caso não saia amanhã com um acordo assinado, vai propor às outras forças sindicais uma reunião para, em conjunto, pensar formas de luta que passem pela auscultação da classe docente.

Por último, não posso deixar de referir a posição de "fé" no resultado da reunião de amanhã demonstrada por João Dias da Silva, que, disposto a fazer cedências no que se refere à duração da carreira, ainda acredita poder sair da 5 de Outubro com um acordo assinado.

1 comentário:

  1. Às 13:30 0 Jornal da RTP1 dava conta de que não houve acordo entre a FNE e o ME, admitindo João Dias da Silva pedir o prolongamento das negociações em Janeiro.
    A FENPROF só será recebida à tarde.

    ResponderEliminar