quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Paulo Guinote na "Opinião Pública" - a cruzada de sempre


Paulo Guinote e o seu umbigo lá foram hoje mais uma vez à televisão. Ontem na TVI24 e hoje na SIC Notícias lá esteve a defender a classe e com classe.

Nem perante os desmandos dos reformados, auxiliares de acção educativa e avozinhas ressabiadas ao ataque, ele perdeu a compostura. Limitando-se a sorrir levemente, sem nunca se notar no seu semblante qualquer alteração do bom humor e fair-play que o caracterizam, o Paulo desmontou, uma após outra, aquilo que considero as calúnias com que uma certa opinião pública se habituou a mimosear os professores.

Desde o advento de Jorge Pedreira, Valter Lemos e Maria de Lurdes Rodrigues, que, por mais de uma vez injuriaram e ofenderam os professores com insultos ou insinuações pouco abonatórias, que todo e qualquer cidadão, mesmo nada sabendo de educação, se diz "conhecedor no terreno" do trabalho dos docentes e SABE que "eles não querem ser avaliados" e “só querem é bagunça!”!

Continuo, apesar do tempo, a sentir-me chocada com a injustiça de algumas mentiras, tais como: que nunca quereremos avaliação nenhuma e que deixamos as crianças sem aulas para irmos para as ruas fazer manifestações... quais arruaceiros, para não dizer Hooligans, como nos chamou o Sr. Emídio Rangel, que acabou (e bem!) arguido por difamação (haja Deus!).

Não vou aqui repetir a argumentação do Paulo Guinote para rebater isto, assim como as questões que melhor salientou. Esse trabalho já está feito (e bem); poderão lê-lo no ProfBlog, que transcreve tudo o que de fundamental foi dito.

Quero apenas sublinhar duas coisas:
- A primeira: que lamento que muitos cidadãos continuem a entender que os professores são um bando de malandros que querem ganhar muito sem nada fazer (incluindo não querer ser avaliados, o que seria coerente com a sua incompetência), mesmo tendo em vista que educam e ensinam os seus filhos e netos;

- A segunda: que me congratulo com a existência de professores que não se importam de oferecer o peito às balas, e que, além de eloquentes, são corajosos e bem preparados para desmascarar as mentiras e calúnias sistemáticas com que a classe, lamentavelmente, continua a defrontar-se ainda hoje e passados quatro anos.

É graças a Bloggers como o Paulo e outros colegas, a líderes de Movimentos Independentes e a certos Deputados, como por exemplo, a Ana Drago, que tem sido possível fazer ouvir a nossa voz e, apesar de tudo, fazer com que alguns sectores da sociedade já vão começando a reconhecer o nosso trabalho e as nossas razões de outra forma.

Estou convencida de que a informação e a troca de experiências e testemunhos na Blogosfera acabam por ter eco na Comunicação Social tradicional e constituir-se também como força de pressão sobre as próprias estruturas sindicais.
Há que ter a coragem de continuar esta que eu chamo já uma verdadeira cruzada.
Assim o cansaço e o desânimo não nos derrubem.


Imagem: Paulo Guinote na SIC Notícias hoje no meu televisor.

3 comentários:

  1. Lelé
    Excelente síntese. O Paulo Guinote foi admirável. O PS mobilizou uma tropa de choque para caluniar os professores.

    ResponderEliminar
  2. Talvez. Não seria nada de novo... Lamentavelmente, não coloco de parte essa ideia.

    ResponderEliminar