quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Duas questões de Octávio Gonçalves para reflexão

Recebi do colega Octávio Gonçalves ligado ao Blogue do Movimento Promova o e-mail que transcrevo, sem comentar, esperando que suscite a merecida reflexão:

"Deixo aqui um desafio, em forma de questões, aos sindicatos, aos partidos políticos e aos bloguistas, uma vez que anda por aí muita semântica e muito jogo de palavras pouco cristalino e muito esquivo:

- Reconhecem a competência e a seriedade suficientes ao processo de avaliação do 1º ciclo avaliativo para empreender diferenciações objectivas e justas entre os professores de cada escola/agrupamento, de forma a que essas classificações possam introduzir penalizações e vantagens em termos de concursos e de progressões na carreira?

- Consideram que o Ministério da Educação disporia de força negocial idêntica à que possui actualmente se o modelo de avaliação e o consequente processo de avaliação do 1º ciclo já tivessem sido suspensos pelo Parlamento?

Os professores necessitam de conhecer quem, por convicção, ignorância, incoerência, táctica política ou deficit de exigência, está disponível para dar o seu aval aos resultados de uma "farsa" e de um processo de que muitos milhares de docentes, por imperativo de razão e de dignidade, se escusaram a participar.

Eu, pela minha parte, respondo já e sem subtilezas ou hesitações:
- obviamente que não reconheço, pelo que devem ser anuladas todas e quaisquer penalizações ou vantagens decorrentes deste ciclo avaliativo;
- evidentemente que não e evitar-se-iam as manobras de arrastamento do processo e as tentativas (que surgirão) de manutenção do essencial do modelo de avaliação."


Octávio V Gonçalves

Para responder podem ligar ao respectivo Blogue.

Sem comentários:

Enviar um comentário