quinta-feira, 22 de julho de 2010

Casa em Hong-Kong: a magia do espaço



"O arquiteto chinês Gary Chang tem bons motivos para pensar em soluções que utilizem pouco espaço com muita eficiência. Ele mora em Hong Kong, um dos maiores centros urbanos do país mais populoso do mundo.

Por ali, a ordem é aproveitar cada mínimo espaço. Por isso mesmo, as casas costumam ser minúsculas. Enquanto morava com a família, Gary vivia num apartamento de duas divisões: os pais ficavam num quarto, as irmãs noutro e ele, no corredor, que também fazia as vezes de sala.

Hoje, ele vive num apartamento com 24 divisões! (...)
O lar de Gary Chang tem pouco mais de 30m². O seu grande segredo foi fazer paredes móveis que possuem rodinhas e se deslocam por trilhos instalados no teto. “A casa move-se para mim”, diz Chang.

Além de ocupar pouco espaço, a ideia também contribui com o meio ambiente graças aos espelhos instalados no teto que, não só disfarçam os trilhos e dão a impressão de que o ambiente é maior, como aproveitam melhor a luz natural que entra pela única janela.

Um filtro alaranjado nas venezianas também intensifica o efeito da luz que vem de fora e torna o local mais aconchegante. “Quase nunca preciso acender as luzes”, conta.

A genialidade de Gary Chang foi descoberta pelo programa World’s Greenest Homes, que, como o nome já diz, vai atrás dos inventores das casas mais verdes do mundo."

(Recebido por e-mail)

Sem comentários:

Enviar um comentário