quinta-feira, 7 de abril de 2011

ADD - continua o imbróglio



Na sequência do pedido do Presidente da República ao Tribunal Constitucional para proceder à fiscalização da inconstitucionalidade da revogação do modelo de Avaliação de Desempenho Docente pela maioria dos deputados da Assembleia da República há duas semanas, o deputado Miguel Tiago do PCP faz o seguinte comentário:





Por outro lado, a FENPROF "lamenta a decisão do presidente da República de enviar para o Tribunal Constitucional a revogação da avaliação de desempenho docente. A Federação Nacional da Educação aguarda "com toda a serenidade" decisão favorável." (Daqui)

Também o Bloco de Esquerda diz "esperar que se mantenha o compromisso entre as forças políticas que revogaram a avaliação de desempenho docente, independentemente da apreciação que sair do Tribunal Constitucional sobre esta matéria."

Na semana anterior a presidência tinha feito circular na imprensa a indicação de que Cavaco Silva não iria envolver-se na Avaliação de Professores, dando a entender que deixaria aos Partidos da AR a legitimidade para se pronunciarem e decidirem sobre essa matéria no contexto parlamentar. Tudo levava a crer que o Presidente iria promulgar o diploma, não fosse o já infelizmente habitual chorrilho de impropérios de alguns comentadores como Miguel Sousa Tavares, Emídio Rangel, Vasco Pulido Valente e até Isabel Stilwell, que mais uma vez vieram à praça pública invectivar a classe docente, proclamando todo o seu ódio e exigindo o veto presidencial.

É triste que a amizade do Professor Aníbal António e da Dra. Maria Cavaco Silva com a inenarrável socióloga do trabalho Maria de Lurdes Rodrigues, de triste memória, tenha pesado mais nas suas excelsas consciências do que a necessária lucidez para perceber o quão mal aquela conseguiu fazer à Escola Pública em Portugal.

Pode ser que o TC considere que não há inconstitucionalidade e a revogação da ADD acabe por produzir efeitos. Mas, de mais uma humilhação pública por parte de quem se ri da sua desgraça nos Media, os professores já não se livram! Obrigadinha por mais esta atitude com que nos armadilhou, Senhor Presidente!

Sem comentários:

Enviar um comentário