terça-feira, 11 de agosto de 2009

Pirata









Pirata

Sou o único homem a bordo do meu barco.
Os outros são monstros que não falam,
Tigres e ursos que amarrei aos remos,
E o meu desprezo reina sobre o mar.

Gosto de uivar no vento com os mastros

E de me abrir na brisa com as velas,

E há momentos que são quase esquecimento
Numa doçura imensa de regresso.

A minha pátria é onde o vento passa,
A minha amada é onde os roseirais dão flor,
O meu desejo é o rastro que ficou das aves,
E nunca acordo deste sonho e nunca durmo.


Sophia de Mello Breyner Andresen

Poema gentilmente enviado pela Carmela (ainda em férias, mas sempre colaborante neste Blogue).

Fotos de Pérola de Cultura na Ilha de Paros, Grécia

Sem comentários:

Enviar um comentário