segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Os cartões de Natal da era digital


Dantes ia gastar horas nas filas dos CTT, primeiro comprar e depois expedir os incontornáveis cartões de Natal, que com maior ou menor fantasia, maior ou menor formalidade, desejavam Boas Festas e Feliz Ano Novo aos mais chegados. 
Escolhia criteriosamente as ilustrações, endereçando temas religiosos às pessoas das gerações mais antigas, e para os da minha idade, temas mais "bucólicos", "românticos" ou as habituais paisagens de neve, etc.
Hoje, a vida ficou muito facilitada, já que, no conforto do lar, pode escolher-se as imagens, personalizá-las ou não, e enviar aos amigos. À distância de um clique. 
No Facebook podem ser identificados 50 amigos numa única imagem: todos eles poderão apreciá-la no seu Mural no segundo seguinte. Os mais proficientes no Photoshop, ou os artistas, podem ainda usar da sua criatividade e produzir as suas imagens originais, ou criar composições mistas, de desenhos sobre fotos da Web, como foi o nosso caso este ano aqui no Blogue, com a imagem da Pearl em Rovaniemi, que foi enviada a dezenas de amigos. 
Como forma de reconhecimento, e para que o registo fique nesta espécie de "Éter" que é a Blogosfera, deixo aqui alguns dos cartões de Natal que para mim este ano foram especialmente significativos. É também um agradecimento público pela generosidade e atenção destes amigos.



Dália Sanches

Letizia Marziali










(c) Marta Guinote e Paulo Guinote 

Outros há, que por serem demasiado pessoais, ficarão guardados no email das coisas boas...

3 comentários:

  1. Que bonito Helena ! Y si la era digital tiene estas cosas buenas !
    Tengo muchas ganas de volver a verte , en cualquier lugar del mundo !
    Un besazo grande

    ResponderEliminar
  2. Os postais de cartão são... outra coisa, não é verdade? Mas estes podem ser únicos, mais pessoais até! E até podemos pô-los no pinheiro, se quisermos dar-nos ao trabalho de os imprimir. Desde que a Troika não veja, claro!

    ResponderEliminar