quinta-feira, 2 de setembro de 2010

"Carla Bruni merece morrer" diz-se no Irão

A actual primeira-dama francesa, Carla Bruni-Sarkozy, "merece morrer", diz-se num jornal iraniano.
Por estar envolvida com outras celebridades francesas, como a actriz Isabelle Adjani, numa campanha de protesto contra o apedrejamento de mulheres por adultério, a ex-modelo e cantora é acusada de fazer de modo subtil nas suas canções um apelo à infidelidade. Merece, por isso morrer, já que isso é um atentado, dizem eles, à cultura milenar de uma das mais antigas civilizações do mundo, a persa.

Se cultura é atentar contra a liberdade, a integridade física e até a vida do seu semelhante, eu, definitivamente, preferia ser um golfinho, do que uma cidadã de um país fundamentalista, onde o poder está na mão de esbirros, que nem à espécie dos humanos deveriam pertencer!

Porca miséria! Mundo cão!


Leia aqui os pormenores da notícia.

2 comentários:

  1. Viva.

    Que coisa mais disparatada, realmente.

    Bj e bom ano.

    Paulo Prudêncio.

    ResponderEliminar
  2. É Paulo, isto não tem explicação.
    Um abração e bom ano também para ti, meu amigo.

    ResponderEliminar