quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Irão suspende lapidação de Sakineh Ashtiani



Sakineh Ashtiani, a mulher iraniana condenada à lapidação, além de 99 chicotadas, pela prática de adultério, parece ter visto a sua pena suspensa pelas autoridades.

(Leia aqui a notícia.)

Parece enfim ter dado resultado a campanha de protesto a que, aliás, a Pérola de Cultura se associou, conforme se pode ver na barra lateral.
Depois de Carla Bruni-Sarkozy, Isabelle Adjani e outras celebridades se terem envolvido nesta campanha para salvar a vida desta mulher, foram acusadas pelo governo iraniano de incitarem à infidelidade, de atentarem contra as tradições milenares da cultura persa e, por isso mesmo, merecerem morrer também, conforme se pode ler aqui abaixo.

Se percebermos que o crime de Sakineh foi ter tido relações sexuais depois de ficar viúva, só podemos concluir que depois de os maridos morrerem, as mulheres do Irão devem continuar a guardar fidelidade, neste caso, a um defunto! Bela tradição!

Não se pode admitir a morte por lapidação, e as razões evocadas são de um ridículo e de uma crueldade atroz. Isto não é Cultura, é Barbárie!

3 comentários:

  1. Claro que é Barbárie! e temos que ajudar a acabar com isto! posso levar o banner do lado direito em defesa da Sakineh Mohammadi-Ashtiani ?
    beijo

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que nada mais irá acontecer a ela. Um grande abraço Helena, boa noite :)

    ResponderEliminar
  3. Claro que sim, a denúncia deve ser massiva. Bjs.

    ResponderEliminar