sábado, 11 de dezembro de 2010

O Bad Romance da "freak bitch"


Não fui ver Lady Gaga, prontus, fiquei a ver testes como uma menina bem-comportada; portantus, nem devia falar do seu espectáculo, mas não pude impedir-me de ler a imprensa especializada e estarrecer-me com algumas das informações de quem é bom observador a fazer reportagens.

Na verdade, era expectável que esta nova versão de bad girl da pop fosse ainda mais longe que Madonna ou Pink em termos de irreverência e alusões sexuais, mais ou menos explícitas.

Já o que eu não esperava é que uma boa parte do público fosse constituído por famílias, com pais e mães a acompanhar as suas filhas pequeninas, segundo reza o repórter, meninas de oito, nove ou dez anos no máximo.  E mais espantoso ainda: que em conjunto entoassem as letras desta "Lady" votada ao erotismo e à nudez.

O artigo em questão diz mesmo que "talvez a expressão tão forçada e tão teatral invista essa sexualidade de um tom cómico ou burlesco, sublimando a carga erótica ou provocatória da cantora".

Alguma coisa deve estar a mudar nas famílias portuguesas, que não se importam de mostrar às criancinhas as "tias loucas" deste planeta. Ao que parece, Lady Gaga nem poupa os símbolos religiosos, como cruzes ou elementos decorativos de expressão gótica. Madonna que se cuide e os adultos também, com esta nova geração de fans que por aí vem...

2 comentários:

  1. Não aprecio propriamente a música da Lady Gaga. Não por "peer pressure", como acontece com muita gente da minha faixa etária, mas sim por ser um estilo musical que tem conotações comerciais demasiado fortes... No entanto, é indiscutível que ela é uma artista em todo o sentido da palavra. Tem um sentido de espectáculo apuradíssimo que, desde os pimeiros anos de Madonna, não se via. Consegue empolgar o público e envolvê-lo na sua actuação como poucos outros. Para mim, Madonna continua a ser a Rainha, mas quando se "reformar", já tem sucessora garantida!
    P.D.

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida alguma. Até porque sabe cantar, para além do sentido do espectáculo!

    ResponderEliminar