sábado, 11 de dezembro de 2010

Museu D'Orsay - uma Pérola na Europa


Paris é a cidade do mundo! Dos amantes, dos artistas, dos poetas, dos sonhadores... Tenho dificuldade em imaginar uma pessoa que não goste desta magnífica cidade! A verdade é que todos temos um lugar especial, mas Paris é o que nos une! Por mais que diga que Lisboa é a cidade da minha vida, o meu coração divide-se entre as duas.

Paris é, sobretudo, uma cidade de pérolas! A gastronomia perfeita, a arquitectura notável, e o ambiente excêntrico podem disfarçar algumas delas mas, para um observador dedicado, elas nunca desaparecerão... Uma dessas pérolas é o Museu d'Orsay!



O Musée d'Orsay fica situado no edifício onde, até 1973, funcionou a Gare d'Orsay, um importante terminal ferroviário de Paris. Construído em 1898, fez parte da Exposição Universal de 1900. Após esta exposição estava planeada a sua demolição, até que vários movimentos de oposição a esta medida conseguiram que o imponente edifício continuasse com a sua função, até 1973, ano em que a estação foi encerrada. Em 1977 o Governo Francês decidiu dar novo uso ao edifício e, em 1986, foi inaugurado o Museu d'Orsay.


Desde cedo que este museu tem deslumbrado a Europa. Muitos outros foram construídos à sua semelhança e por ele já passaram milhões de pessoas de todo o mundo. Poucos foram os que tiveram o privilégio de ver as suas obras entre as de Van Gogh, Manet, Monet, Matisse, Rodin, Renoir, Cézanne, Seurat, Pissarro, Degas, entre muitos outros. Com colecções muito completas e bem organizadas, compete com o próprio Louvre, situado na outra margem do Sena!


Mal se entra no museu, o sentimento de grandeza surge com facilidade. Os tectos cuidadosamente trabalhados, as colunas monumentais, o relógio dourado minuciosamente esculpido, o contrastre entre o antigo e o moderno e as gigantescas clarabóias contribuem, certamente, para isso! Não é de admirar que faça parte da lista dos museus mais bonitos do mundo!

Mas o melhor é ver por si próprio! Por muitas descrições que oiça, só mesmo visitando poderá compreender a sua verdadeira magia! Fica a dica!

P.D.

13 comentários:

  1. Eu viveria facilmente em Paris (malgré le froid!)
    E o Museu do Quay D'Orsay é sem dúvida um dos locais onde me sinto melhor. Sou capaz de ficar horas embasbacada, sobretudo perante as esculturas!

    ResponderEliminar
  2. Eu também! É uma cidade fantástica! E parece haver sempre algo mais para ver, visitar, explorar...
    P.D.

    ResponderEliminar
  3. Paris é assim uma "neverending story"! ;-)

    ResponderEliminar
  4. Concordo com o PD, o Museu é fantástico e de visita obrigatória ( claro, para quem aprecia arte), mesmo quem não gosta acho que sai maravilhado com toda a imponência e bom gosto do espaço. É a prova que os espaços outrora utilizados para outros fins poderão ser recuperados sendo eles próprios uma referência histórica de um tempo, de arte e arquitectura de uma época. Assim se deixa marca.
    Eu adorei o Museu D'Orsay e será para vistar novamente, pois uma vez só não é suficiente.
    Romã

    ResponderEliminar
  5. Concordo consigo, Romã, quando diz que não basta visitar uma vez para exlorar tudo... É necessário regressar! Há sempre qualquer coisa que escapa. Subscrevo também quando diz que mesmo quem não aprecia ou percebe de arte gosta deste museu.
    Na realidade temos muitos edifícios devolutos como este em Portugal. Por exemplo um palacete na Avenida Fontes Pereira de Melo, no coração de Lisboa, prestes a ruir! Como é possível não recuperarem este tipo de imóveis? Tantas fundações sem sede, tantos museus sobrelotados, tantas empresas públicas a precisar de novas instalações!
    P.D.

    ResponderEliminar
  6. E tantos prédios lindíssimos que se deixa cair. Inexplicavelmente! :-(

    ResponderEliminar
  7. Este é para mim o mais belo museu Parisiense.

    E nós por cá, com tanta possibilidade de fazer "coisas" destas.....

    ResponderEliminar
  8. Pois... Até há cerca de 15 anos, nas Avenidas Novas (especialmente na Avenida da República) cometeram-se autênticos crimes... E não foram só os que cairam devido à má conservação. Foram também os que se demoliram, como é o caso do monumental! O que vale é que ainda se preservam alguns edifícios como a sede da EMEL ou o Clube dos Empresários...
    P.D.

    ResponderEliminar
  9. Vamos ver o que sobra do petrimónio da Arte Nova que havia em Lisboa. Por exemplo...

    ResponderEliminar
  10. Pois... Arte Nova temos o museu Dr. Anastácio Gonçalves e pouco mais...
    P.D.

    ResponderEliminar
  11. E o conteúdo deste museu é qualquer coisa! Foi o síutio onde as horas passaram por mim, sem eu dar por elas, pois o espólio é riquíssimo. Quando voltar a Paris, tenho que lá voltar. Bjs.

    ResponderEliminar
  12. É bem verdade! Qualquer um perde a noção do tempo no meio de tantas maravilhas!
    P.D.

    ResponderEliminar