quarta-feira, 16 de maio de 2012

Narciso e Leonardo na perspetiva de Freud


Ein Kindheitserinnerung des Leonard da Vinci (1910) é a obra de Freud em que a ciência, a literatura, a psicanálise e a mitologia se encontram .
A recordação da infância, que Freud encontra nos Cadernos de Leonardo irá ser submetida a uma análise psicanalítica. O pintor refere:
 “Parece-me que já estava predestinado para me interessar fundamentalmente pelo abutre, pois ocorre-me como primeiríssima recordação que, quando, ainda estava no berço, um abutre desceu até mim, abriu-me a boca com a cauda e bateu várias vezes nos meus lábios com essa mesma cauda[1].
Leonardo remeteu para os anos em que foi amamentado a recordação da experiência pretensamente vivida com o abutre. E, Freud interpretou a recordação como uma reminiscência em perfeita concordância com as suas perspetivas teóricas desenvolvidas em 1905 na obra Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade.
 A partir da versão do Mito de Narciso em Metamorfoses de Ovídeo encontramos a relação entre a pulsão epistemofílica e o narcisismo na primeira biografia psicanalítica.


[1] “It seems that I was always destined to be do deeply concerned with vultures; for I recall as one of my very earliest memories that while I was in my cradle a vulture came down to me, and opened my mouth with its tail, and struck me many times with its tail against my lips”. In Freud, Leonardo da Vinci and a Memory of His Childhood, p. 82.


Isabel Castro Lopes
(Colóquio Internacional "Revisitar o Mito" Universidade de Lisboa, maio 2012)

Sem comentários:

Enviar um comentário