segunda-feira, 26 de abril de 2010

Dia da Liberdade - uma carta aos sub-36


Recebi por e-mail este texto fantástico do Kroniketas, que não posso deixar de publicar, pela sua pertinência e actualidade:

"Camaradas, amigos ou companheiros (ou na versão Herman José, camarigueiros)

Gozem este Dia da Liberdade, porque é um bem precioso que devemos ao Movimento dos Capitães.

Para aqueles que há 36 anos ainda não tinham nascido, ou que ainda não tinham idade para perceber como era o país antes, e que sempre viveram em liberdade, convém terem consciência de que até há 36 anos nada daquilo que agora tomamos por adquirido existia. Não eram só os telemóveis, a Internet ou a televisão a cores e com telecomando que não existiam: acima de tudo não existia este bem precioso a que chamamos LIBERDADE e que nos permite falar mal do Sócrates em frente a 52 pessoas e não corrermos o risco de termos um bufo que nos denuncia para sermos presos; que nos permite saber notícias do país e do mundo ou ver filmes no cinema sem serem truncados pela censura; que nos permite participar em comícios, reuniões ou manifestações de rua ou fazer greve sem sermos perseguidos pela guarda a cavalo ou baleados, como aconteceu com o estudante Ribeiro Santos; que nos permite receber o correio em casa sem ser aberto; que nos garante que não temos o nosso domicílio invadido de madrugada pela PIDE e não somos levados para sermos torturados nos interrogatórios nem somos levados para parte incerta para nunca mais voltar; que não somos deportados para o Tarrafal e colocados na "frigideira"; que nos garante o direito de votar livremente em quem quisermos e não termos os resultados das eleições falseados.

Temos uma democracia imperfeita? Temos um regime mau? Temos insegurança e corrupção? Temos tudo isso, mas o que é isso comparado com a falta da LIBERDADE? É verdade que muito se perdeu do espírito original de Abril, e é verdade que cada governo enterra mais um bocadinho o que ainda resta desse espírito. Mas é melhor ter uma democracia imperfeita do que não ter nenhuma. Creio que foi Winston Churchill que disse qualquer coisa parecida com "a democracia é o pior dos regimes, excluídos todos os outros". Por isso me arrepio todo quando ainda ouço alguém dizer que o que fazia falta era o Salazar. Esse é o legado de atraso e subdesenvolvimento que o ditador nos deixou, e quem o diz não merece a liberdade que lhe caiu no colo.

Por isso, gozem bem esta liberdade porque é a única que temos.

25 de Abril sempre!"

3 comentários:

  1. Texto muito bem escrito, recado certeiro! Mais ainda será se tiver o seguinte anexo: gozem a liberdade mas, mais do que isso, defendam-na e lutem por ela sempre que necessário!
    O pior não são os Salazares e os oportunistas que os apoiam, que já de si são maus, são os pobres de espírito que acham que o seu regime é o melhor para evitar "esta pouca vergonha". Para os fascistas e pides, a vergonha simplesmente não existe.

    ResponderEliminar
  2. Lelé: depois venho comentar. ando sem tempo. tens um selinho à tua espera.
    beijo

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, amiga.
    Vou já lá buscá-lo.
    Muitos beijinhos.

    ResponderEliminar