quinta-feira, 15 de abril de 2010

Islândia - temor e tremor


Só costumava deitar umas fumarolas de vez em quando. Era como um gigante adormecido na placidez do véu branco onda jazia deitado. Acordou, rugiu e fez evacuar as populações do Sul. Como se de repente recuassem duzentos anos e tivessem de pegar à pressa nos filhos e migrar para outras paragens. Em vez de borregos levam sacos cama e em vez de candeias de óleo de rena, telemóveis de última geração, iniciando uma outra espécie de transumância, que não se sabe aonde e quando irá terminar.

Deixei aqui um post sobre a proibição do striptease na Islândia, a cuja discussão prometi voltar. Mas perante esta ocorrência tão séria, preocupa-me mais o risco eminente de uma erupção brutal de um outro vulcão vizinho, o Hekla, muito maior e mais devastador. Algumas populações islandesas estão a viver próximo desta espécie de bomba relógio, que pode estoirar a qualquer momento.

Uma consequência imediata desta erupção é o derretimento do glaciar que está associado a este vulcão, que já provocou o alagamento com água e lama de muitos hectares de terra cultivada.

A enorme quantidade de cinzas que está a ser lançada para a atmosfera já fez hoje encerrar um grande número de aeroportos do Norte da Europa e cancelar milhares de voos. Dizem os especialistas que a nuvem vulcânica está a alastrar e pode prolongar-se durante semanas.

Podem ver as imagens do vulcão em erupção: chama-se Eyjafjallajokull e assemelha-se àquilo que imaginamos ser o Inferno.
O que é, ao pé disto, o mini tornado de ontem sobre o Tejo?


3 comentários:

  1. A terra estrebucha, Lelé. Eu, no lugar dela, faria exactamente o mesmo.
    Bj

    ResponderEliminar
  2. É amiga, os deuses parecem ter começado a zangar-se seriamente com os homens, e terão, certamente, boas razões para isso...

    Beijo.

    ResponderEliminar