sexta-feira, 20 de maio de 2011

A bater no fundo


Em Budapeste é com orgias que uma empresa alemã recompensa os seus melhores vendedores.
É logo a Alemanha, que se prepara para nos governar a todos, a dar exemplos deploráveis como este.
A notícia dá-me voltas ao estômago, pela misoginia, o abuso e servidão, quase com requintes de escravidão!
Que tipo de precedente é que isto pode abrir? Onde vamos parar?
Depois disto, quem é que tem moral para condenar o turismo sexual da Tailândia, as redes de prostituição, as Mafias do Leste, a pornografia em casa de Bin Laden, etc?
À vista disto, Berlusconi é um aprendiz!

(Obrigada Anabela Magalhães)

5 comentários:

  1. Os alemães pensam-se intocáveis. A Sr.ª Merkel pensa-se intocável. E "mandam bitaites" para os outros (as raças inferiores...) Foi assim que o Adolf começou... E, no fundo, no fundo, todos eles têm um pouco de Adolf nos seus genes. (Peço desculpa pela brutalidade do que estou a afirmar, mas é assim que eu sinto)

    ResponderEliminar
  2. Andam a perder as estribeiras, e a precisar de uma lição (mais uma vez)! :-(

    ResponderEliminar
  3. Os sinais de desvario que nos chegam de todo o lado são deveras inquietantes. A minha preocupação tem crescido a olhos vistos... :(

    ResponderEliminar
  4. Podes crer, é mesmo muito inquietante, na medida em que parece um retrocesso no tempo, não é?

    ResponderEliminar
  5. Correndo o risco de parecer preconceituoso, só penso numa coisa: Alemães...

    ResponderEliminar