quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Concurso para professor titular por debaixo dos panos?


No Blogue do PROMOVA denuncia-se uma situação altamente irregular, que foi comunicada por e-mail.

Aliciamentos e retaliações a Sul e à margem da legalidade no âmbito dos concursos para professores titulares?

Excerto do e-mail que recebemos, devidamente identificado:

"Escrevo-lhe para lhe dar conhecimento de mais uma afronta que se prepara contra os professores, pelo menos aqui a sul: Um colega da minha escola (que entregou objectivos individuais) telefonou a outro (que não os entregou) dando-lhe conhecimento de uma nova modalidade de concurso para titular, do qual soube, através do director da escola que a aconselhou a concorrer. Trata-se apenas de fazer um trabalho com 30 páginas, que será lido pelo director da escola, pelo director do centro de formação e por um elemento da direcção regional do sul, sem haver prova pública.
Pelo que sei, através do colega que me advertiu da situação, as pessoas que não entregaram objectivos não estão a ser contactadas nesse sentido. Como se percebe, trata-se de mais uma escandalosa manobra para conseguirem obter votos daqueles que, receando a exposição oral, poderiam ainda esperar pelos resultados das eleições, para se decidirem, mas que, agora sem ela, irão mesmo concorrer."


Esta situação, a ser verdade, configura uma violação grosseira do estipulado no Decreto-Lei n.º 104/2008 de 24 de Junho, art.º 8º.

Pode ler os fundamentos legais no Blogue do PROMOVA.
Se isto começa assim, antes mesmo de estarem definidas as datas para o concurso, é muito mau sinal. Compadrios e clientelismo, onde deveria haver transparência pública, é intolerável.
Em qualquer caso, é por muitos milhares desejada a revogação dos diplomas que estabeleceram a divisão iníqua da carreira docente em professores titulares e não titulares.

Sem comentários:

Enviar um comentário