domingo, 27 de setembro de 2009

A falta de coragem para mudar e a crise do absolutismo



A falta de coragem para encarar a necessidade de uma mudança efectiva e o medo de alterar o status quo deram origem a resultados eleitorais curiosos mas preocupantes.

Tanto em Portugal como na Alemanha houve uma maioria de pessoas que votou no sentido da "continuação" e do "desenvolvimento" das políticas seguidas até aqui pelos seus governantes.

Foram renovadas as eleições de José Sócrates e Angela Merkel que vão, ao que tudo indica, continuar a liderar os governos dos respectivos países, embora necessariamente com remodelações.

Sem maioria absoluta, mas com a possibilidade de fazer coligações, o primeiro-ministro apareceu muito feliz e confiante na renovação do seu cargo por mais quatro anos. Maria de Lurdes Rodrigues escusou-se à pergunta dos jornalistas sobre a sua disponibilidade para continuar à frente do Ministério da Educação.

A Democrata Cristã Angela Merkel vai coligar-se com o Partido Liberal, com quem soma uma maioria absoluta para governar.


Por cá, pode acontecer que os próximos dias nos reservem alguma surpresa desagradável.

2 comentários:

  1. Que maravilha de blogue. Parabéns !!

    Abraços,

    Raquel Crusoé

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Raquel!
    Também gostei do seu.
    Abraços.

    ResponderEliminar