quinta-feira, 19 de abril de 2012

Juan Carlos I, um rei em queda

Imagem do Kaos


Se ao princípio sentia alguma simpatia pelo monarca de Espanha, hoje percebo que tal deve ter ocorrido por razões subjetivas, que se prendem com a sua vida em Portugal, o seu empenho em falar em português sempre que a ocasião o permitia e demonstrar algum conhecimento da cultura ibérica, se assim se pode dizer. 
Recentemente, pode dizer-se que Juan Carlos de Espanha, mesmo antes da sua queda física, já era de há algum tempo um monarca em queda de popularidade, a julgar pela divulgação de certos comportamentos seus na imprensa espanhola. 
Esta infeliz ideia da caçada aos elefantes em África acabou com a sua já frágil reputação e, pela parte que me toca, para mim, é o golpe final.



Não vou mais dar o benefício da dúvida a uma pessoa destas, que não é um cidadão qualquer, anónimo, é um rei de um país europeu, e que faz coisas com esta gravidade. Já noutras ocasiões o tinha feito, aparecendo triunfante ao pé de animais de grande porte abatidos a tiro. Que bonito! Hoje, como se nada fosse, vem pedir desculpa a dizer "lo siento, me he equivocado"...! What????
Quer Sua Alteza Real dizer que quando o seu amigo, um príncipe Saudita, o convidou para a caçada, Sua Senhoria não sabia ao que ia? E estas imagens dos anos passados, com búfalos a seus pés e um elefante agonizante tombado sobre uma árvore? São também equívocos? Não lhe dizem nada? Estará Sua Alteza Real com Alzheimer? 




Equivocou-se? Não sabia que matar elefantes é crime? Que este animal está em vias de extinção por causa das batidas de caça que se têm feito ao longo de gerações para captura e contrabando do marfim? Que o elefante é o maior animal terrestre da atualidade, chegando a pesar 12 toneladas? Que um adulto chega a viver 60 anos em liberdade na Natureza? Que a gestação de uma cria de elefante demora quase dois anos e que um  bebé pesa 90 quilos? Que se trata de um animal herbívoro, extremamente sensível às alterações do habitat? 
Temos um monarca ignorante? Ou leviano? Ou inconsciente? Ou demente? Ou hipócrita???
Qualquer das hipóteses é triste e preocupante; e uma pessoa nestas condições não deve continuar a ser o presidente honorário da World Wide Fund for Nature, quanto mais um chefe de estado!
Melhor será abdicar e dar o trono ao filho, o Príncipe Felipe, que parece uma pessoa decente.
Mas as histórias tristes com as caçadas já vêm de há muito tempo. Só não se compreende como é que ainda é o presidente honorário de uma organização não-governamental com fins ambientalistas, de preservação da biodiversidade, das florestas, dos oceanos e das espécies em vias de extinção. 
Ao Sr. D. Juan, um Rei em queda, que sofre de equívocos destes há 50 anos, só lhe falta ir à China abater os pandas, que são o símbolo da WWF!


(Há uma notícia sobre este assunto no Público).



"The current President of Honor of WWF in Spain, King Juan Carlos I, is a known hunting enthusiast, practicing it from 1962, when with 24 years was invited by the German Baron Werner von Alvensleben to a hunt in Mozambique. From then the King has taken part in huntings in Africa and Eastern Europe. In October 2004 he take part in a hunt in Romania that killed a wolf and nine brown bears, including one pregnant, according to the Romanian newspaper Romania Libera. He was also accused by a Russian official of killing a bear called Mitrofan, supposedly after giving vodka to the animal, in an episode that sparked some controversy in Spain, although it was never proven. In the same year, according to The Guardian, the Polish government allowed him to kill an European bison in Bialowieza forest, even when it is an endangered species. In April 2012 was discovered that the king was in a hunt of elephants in Botswana when he returned to Spain in an emergency flight, after tripping over a step and fracturing his hip in accident, adding further controversy. Although some Spanish environmentalist groups and leftist parties have criticized the hobby of the monarch, the opinion of WWF is yet to be seen."
(WWF - Wikipedia) 

Sem comentários:

Enviar um comentário