segunda-feira, 23 de abril de 2012

Que vive la France!



Gosto da França. E não só por ser o país de um dos meus antepassados. 
Lembro-me bem das lições de francês na cozinha da casa grande, onde menina descobri, pela mão da minha mãe, as delícias de aprender uma língua estrangeira, "a língua do avôzinho". Depois foram as canções e os artistas da música de intervenção francesa. E mais tarde os poetas e os filósofos. O cinema francês, ainda e sempre. 
Embora hoje se esteja a perder essa tradição em Portugal, ainda sinto grande afinidade com a cultura francófona. Por todas estas razões e mais outras, tão ou mais subjetivas, gostaria que as eleições na França realizassem efetivamente os desígnios teóricos da sua revolução. 
Bisou, "mana" Catherine!

2 comentários:

  1. Oui! Para tudo o que disseste... mas não deitemos foguetes antes do fim da festa! Vamos ver o que os quase (preoccupantes) 20% da LePen vão fazer... não creio que vão todos para Sarko, mas continuam uma incógnita.
    Todavia, rezo (não posso votar, já não tendo mais a naturalidade francesa)para que Holland possa governar, e o homem vai ter um bico de obra nas mãos!!! Oxalá consiga fazer frente à Merkel!!!...para bem da Europa toda!
    Bjs, Cath

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cath, tudo o que dizes é verdade.
      Mais preocupante do que continuarmos com a "santa aliança" Merkel-Sarkozy, é a extraordinária subida da extrema-direita.
      Nunca pensei que a filha de Le Pen chegasse aos quase 18%!
      É assustador, dado que estamos a falar de um país europeu, que bastante sofreu com a ocupação que os nazis conseguiram estabelecer quase por todo o lado.
      Bjs.

      Eliminar