terça-feira, 24 de abril de 2012

Miguel Portas (1958-2012)

Foto (c) Tiago Miranda/Expresso

A voz, a presença, a lucidez, a atitude solidária e a simplicidade fizeram dele um homem notável, de vida curta e intensa. Respirava autenticidade e não se poupou a esforços até ao último momento.
Profundamente solidário com os povos oprimidos e sempre do lado dos mais desprotegidos e vulneráveis, soube estar desde a primeira hora com os professores portugueses nas suas lutas. Na rua, em pessoa, sempre com um sorriso, um abraço, uma palavra de incentivo, uma doçura no olhar, uma esperança para além dos dias, era alguém difícil de igualar.
Ironicamente, o Miguel morre na véspera do 25 de abril e faria 54 anos a 1 de maio...
Não gosto de partidos, mas gosto de pessoas. E às vezes gosto mesmo muito.

Leituras sugeridas:
- Notícia com entrevista e fotos na Visão
- Notas biográficas no Público
- Galeria de fotos do Expresso
"Miguel às Portas do céu" por Luís Diferr

3 comentários:

  1. Acredito que estará tranquilo, aguardando o reencontro com os que a seu tempo se irão libertando...do sofrimento e da saudade! Àmanhã não estará, infelizmente não terá o desgosto de ter que tomar essa decisão.

    ResponderEliminar
  2. Uma pena.
    Estas partidas precoces chocam sempre. Mas MP tinha ainda muito a dar...

    ResponderEliminar
  3. Pelo menos que fiquem os valores e os princípios de integridade e honestidade que soube defender ativamente. Cabe aos que cá ficaram seguir-lhe o exemplo.

    ResponderEliminar