domingo, 8 de abril de 2012

Menu de Páscoa saudável



Muito raramente aqui partilho os meus cozinhados. Confesso que sou melhor em outras áreas do que nos dotes domésticos. Mas, uma vez por outra, não me repugna abrir a cortina sobre aquilo que é uma atividade necessária à sobrevivência diária: cozinhar.
Nestes dias frios que induzem ao recolhimento, dei um pouco a volta à imaginação para quebrar algumas rotinas nas refeições e saí-me bem nas duas experiências que, de improviso, resolvi arriscar. Ficam aqui como partilha.
                   Lombinhos de porco com pistachios e alperces secos
Numa frigideira anti-aderente coloquei um fio de azeite e sobre ele oito fatias de lombinho de porco limpas e temperadas com alho moído e gengibre fresco ralado. Por cima dos lombinhos espremi o sumo de meio limão, já ao lume. Enquanto começaram a alourar em lume brando, descasquei um punhado de pistachios e piquei-os em pedacinhos. Fiz o mesmo a oito alperces secos. Juntei os frutos aos lombinhos e virei-os; deixei alourar do outro lado e por fim juntei meia garrafa de cerveja sem álcool. Subi o lume para deixar fervilhar e terminar a cozedura. Servi acompanhado de espinafres, previamente cozidos, salteados num pouco de azeite e alho. Dá para quatro doses. 

Panquecas de amêndoa com frutos vermelhos


Para a massa: 
Bati dois ovos inteiros com 2,5 dl de leite frio e triturei finamente uma chávena de amêndoas com a pele. Juntei ao preparado e temperei com uma pitada de canela em pó e uma gota de azeite. Numa frigideira larga anti-aderente, deitei um fio de azeite e em seguida passei um papel  de cozinha para absorver a maior parte da gordura e deixar a superfície ligeiramente untada. Deitei uma concha do creme e espalhei sobre a frigideira de modo a ficar uniforme. Com o lume alto, a panqueca começa a inchar ligeiramente. Quando começar a formar bolhas, deve-se descolar cuidadosamente com uma espátula para virar e deixar alourar do outro lado. Cozinha apenas um ou dois minutos de cada lado. Dá para quatro panquecas. 
Para o creme:
Bater uma embalagem de natas de soja com quatro colheres de sopa de adoçante Canderel até obter consistência de chantilly. Em seguida adicionar duas chávenas de frutos vermelhos, (que podem ser mirtilos, amoras, framboesas ou morangos), triturados, deixando de lado alguns para decorar as panquecas. Obtém-se um creme rosa forte, muito saboroso e bonito para deitar sobre as panquecas e decora-se com alguns dos frutos inteiros por cima.


O que têm de particular estas duas receitas, que as tornam diferentes do que é habitual ver-se em culinária? E o que têm em comum? 
Começando pela última questão:
- Ambas têm frutas; as frutas vermelhas frescas são fontes importantes de vitaminas e anti-oxidantes naturais. Os frutos secos são ricos em minerais como o magnésio e ainda contêm gorduras saudáveis. 
- A receita dos lombinhos não tem sal e nem precisa dele; os pistachios que se compram já vêm temperados com sal e o gengibre substitui com vantagem a pimenta. A cerveja, o alho e o limão dão um toque acre; e os alperces, uma nota adocicada. O prato resultou muito saboroso e exótico, embora ligeiro.
- A receita das panquecas não tem farinha e nem precisa dela. Obtive uma espécie de "farinha" com as amêndoas raladas. As panquecas ficaram encorpadas, mas fofas.
- O chantilly não tem natas, pois foi obtido a partir de creme de soja. Os frutos vermelhos são muito pouco doces. A receita resultou num lanche muito saciante, mas ligeiro e muito pouco calórico. 
Assim me livrei de quatro ingredientes que para mim são inimigos mortais: a farinha, o açúcar, o sal e as natas. Estes pratos não perderam nada em relação aos pratos ditos tradicionais, nem em sabor, nem sequer no aspeto.
Só não os fotografei porque não sabia se iriam resultar, mas prometo fazê-lo em futuras experiências.
Houve quem quisesse deitar umas gotas de whisky antes de pôr o creme de frutos vermelhos, sugerindo mesmo flambear as panquecas,  mas isso já não é responsabilidade da cozinheira!
Para os gourmets isso pode até ficar como uma sugestão a considerar, se quiserem sofisticar a coisa ou dar show para os amigos.
Se forem incondicionais da cozinha convencional, podem usar as mesmas receitas, mas pôr sal em vez de limão, pimenta em vez de gengibre, açúcar, em vez de adoçante, natas de vaca, em vez de creme de soja, e farinha de trigo em vez de amêndoas raladas. Se em vez de espinafres salteados, quiserem batatas fritas para acompanhar o porquinho... tudo bem, mas tudo isso é muito bom para engordar!
Hei-de  fazer noutra ocasião uma experiência de mousse com chocolate preto amargo e com adoçante em vez de açúcar e depois dou-vos conta do resultado. 
E pronto, aqui têm as sugestões possíveis; da minha parte nunca hão-de ver aqui receitas de borrego ou coelho pela Páscoa, pois esses animaizinhos para mim são bichinhos fofos e meigos, que me dão vontade de acariciar, nunca de comer.

2 comentários:

  1. Grazie, belle e sopratutto buone ricette. Complimenti. Spero, un giorno quando verrò a trovarti a Lisbona, di mangiare insieme a te queste prelibatezze. Un abbraccio.

    ResponderEliminar