quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Fernando Nobre candidata-se a PR


No Blogue do Dr. Fernando Nobre, a quem a maior parte das pessoas conhece pela sua intervenção na AMI (Assistência Médica Internacional), pode ler-se a seguinte carta:

"Caros amigos,

Decidi escrever estas linhas, no sentido de vos comunicar pessoalmente uma decisão de fundo que tomei enquanto cidadão independente e em nome dum imperativo moral e de consciência para Portugal, uma vez que tenho, por quem acompanha este blog, a maior consideração e respeito.

Resolvi assumir um compromisso com o meu país, Portugal. Serei candidato independente, apartidário e em nome da cidadania, a Presidente da República, nas próximas eleições de 2011.

Esta é uma decisão estritamente pessoal, enquanto cidadão que sou. Muito tenho escrito e dito sobre o dever de todos nós exercermos a nossa cidadania de uma forma activa e corajosa. Sinto que o País atravessa um período em que constantemente se põem em causa os valores e as pessoas, as promessas e os projectos. E sei a gravidade que essa atitude generalizada tem no futuro de todos nós. Acredito em Portugal! Acredito nos portugueses e nas suas capacidades. Somos, no mínimo, tão bons como qualquer outro povo do Mundo. E é isso que pretendo provar, candidatando-me a um lugar no qual penso poder fazer a diferença e dar o exemplo.

Informo por outro lado que a AMI, enquanto instituição absoluta e rigorosamente apolítica, não se imiscuirá neste assunto, estando completamente à margem deste processo.

Sou e serei sempre um ser livre. Rejo-me e reger-me-ei sempre por valores em que acredito e não por qualquer outro tipo de ambição. E neste momento acredito poder vir a ser mais útil num outro contexto.

Espero que compreendam as minhas palavras quando, sexta-feira ao fim da tarde, no Padrão dos Descobrimentos, a minha decisão de candidatura for, por mim, tornada pública. E quero que saibam que a minha motivação é exclusivamente uma: acreditar que posso fazer a diferença, não me acomodando nunca."


Esta candidatura surpreende-me pela positiva, pois ando verdadeiramente cansada dos políticos profissionais. Para variar, seria bom que por uma vez a democracia representativa cedesse lugar à democracia participativa, colocando cidadãos empenhados e socialmente idóneos em lugares de poder.

2 comentários:

  1. I did not know this - so thanks for sharing, and: I so much agree with you!

    ResponderEliminar
  2. Hello Renny!
    In Portugal there are too much professional politicians. It's time to give a chance to the citizens to share the responsability of making a government.

    ResponderEliminar