domingo, 21 de fevereiro de 2010

Desastre na Madeira



Nunca pensei vir a utilizar esta belíssima canção de Michael Jackson a propósito de um desastre desta dimensão em Portugal.

Como sempre há que tirar lições dos desastres naturais, pois a eles não é alheia a mão do homem: há que pensar que tipo de ordenamento territorial queremos nas nossas cidades, vilas e aldeias e parar de construir edifícios pelas encostas acima, sem atender à necessária florestação para segurar as terras.

Parece que continuamos a ter a tendência de pensar que as coisas más só acontecem aos outros; hoje enquanto via as imagens desta desolação, parecia-me que estava a assistir aos videos das derrocadas no Brasil, onde as pessoas empoleiram casotas pelas encostas acima formando favelas. Costumamos associar as desgraças à miséria, à fome e às más condições de vida. Aqui não era isso, era um destino turístico, chique e caro, onde reina há 30 anos um governante pretensioso...

3 comentários:

  1. Oi, Lelé Batita, a irresponsabilidade humana é gritante nesses casos de tragédias em que a natureza responde à agressão dos homens. Aqui, no Brasil, também tivemos no início do ano um desastre deste tipo em Búzios (que é um paraíso denominado "Costa Verde"), paraíso turístico. Até comentei em meu blog nas primeiras postagens deste ano. São as construções em locais que não comporta residências ou pousadas; é a especulação imobiliária; a falta de fiscalização; falta de punicão ao não cumprimento às normas que regulam o crescimento das cidades. Enfim, é sempre o "homem" destruindo a natureza e seu próprio habitat. É assim. Ainda não consegui criar aquela seção de receitas culinárias brasileiras, mas a idéia está em pauta...hehe! TEnha uma ótima semana, um bom trabalho, um bom dia, :)
    Suziley.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Suziley.
    As suas contribuições são sempre bem-vindas.
    Soube desse desastre em Búzios. Uma tristeza.
    Esperemos que estas situações sirvam para acordar as consciências dos responsáveis, mas também dos cidadãos, que, atulhando lixo e fazendo construções clandestinas, contribuem para o caos ambiental.

    ResponderEliminar
  3. Cuidado Lelé, sabes que isso é heresia e o tio Alberto dir-te-ia logo "Não percebes nada disto" e tratar-te-ia de humilhar em público...
    Mas infelizmente concordo contigo a 10000000000000000%!

    ResponderEliminar