domingo, 21 de novembro de 2010

Cenas dos CEF


Escola manda turma inteira reflectir em casa

"Estudantes alegam ter sido suspensos sem processo disciplinar pela escola da Levada.
A direcção da escola diz que tomou a medida na sequência de um mais um episódio de "instabilidade".

Uma turma de 18 alunos foi mandada para casa "reflectir sobre o seu comportamento", segundo a directora da Escola Básica e Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva, ou "suspensa sem processo disciplinar", de acordo com a versão dos estudantes.

Eram cerca das 10h30 de ontem quando uma professora do Conselho Executivo da Escola, acompanhada pelo director de turma, e mandou a turma parar a aula do Curso de Educação e Formação em Assistente Administrativo, que está inserido no ensino alternativo e dá equivalência ao 9º se concluído com aproveitamento.

Aos alunos, que estavam a fazer uma ficha de trabalho, foi ordenado que colocassem os cartões de estudante sobre a mesa. Depois da recolha e contagem destes, foram mandados sair da sala e acompanhados até ao portão de entrada do estabelecimento de ensino. "Não estava a acontecer nada de anormal", disse uma aluna, reconhecendo que o ambiente na sala de aula "já foi pior noutras situações".

"Estão suspensos. Voltem na segunda-feira para uma reunião de turma, onde vamos decidir se este curso vai continuar", terá dito, segundo a mesma aluna, o membro do Conselho Executivo (CE) que mandou parar a aula. Os alunos ouvidos pelo DN mostram-se preocupados com este cenário, dado que não querem ser obrigados a começar o 8.º ano de novo.

"Não foram expulsos nem suspensos", assegurou-nos, depois de confrontada com esta situação, Maria Gorete da Silva, presidente do CE. "Foram mandados para casa reflectir", esclareceu, justificando que a decisão está prevista no regulamento escolar e foi tomada com base na "instabilidade que estavam a manifestar" na sala de aula. Ironicamente, na aula seguinte, a turma ia ter um teste no âmbito da disciplina Cidadania e Mundo Actual.

Maria Gorete da Silva declinou entrar em pormenor sobre os comportamentos que motivaram a medida porque, sublinhou, "são assuntos internos da escola". Contudo, quando instada a comentar o descontentamento de alguns alunos, e respectivos encarregados de educação, por a medida ter feito com que os 'justos pagassem pelos pecadores', a responsável foi lacónica na resposta: "Não, eles alinham todos".

"Esta turma tem um elenco de luxo em termos de professores mas eles criaram uma má relação com os professores todos", acrescentou, observando que a medida tinha de ser tomada porque ainda "estamos no primeiro período" e é preciso "fazer cumprir desde já os regulamentos e objectivos do curso."

DN – 20/10/10

1 comentário: