sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Exageros para formatar as cabeças



"Encontram-se disponíveis num ficheiro anexo os Logótipos do Ministério da Educação e Ciência, que deverão ser utilizados em todos os documentos, sites e comunicações da Escola/Agrupamento, incluindo as comunicações por email. Relativamente a este último juntam-se um conjunto de regras que deverão ser tidas em conta, nomeadamente na assinatura.
Todas as comunicações deverão utilizar o tipo de letra Trebuchet MS, tamanho 10. (...) Todos os serviços, organismos e entidades sujeitos aos poderes da direção, superintendência e tutela do Governo aplicam ainda o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, (...) em todos os atos, decisões, normas, orientações, documentos, edições, publicações, bens culturais ou quaisquer textos e comunicações, sejam internos ou externos, independentemente do suporte, bem como a todos aqueles que venham a ser objeto de revisão, reedição, reimpressão ou qualquer outra forma de modificação."
Direção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo 
................................................................................................................
Segundo o Público, Graça Moura afirma que "o Acordo Ortográfico viola a Constituição"
Leia aqui o artigo.
Vasco Graça Moura-foto (c) Daniel Rocha 
"O recém-empossado presidente do Centro Cultural de Belém (CCB), Vasco Graça Moura, fez distribuir ontem à tarde uma circular interna, na qual dá instruções aos serviços do CCB para não aplicarem o Acordo Ortográfico (AO) e para que os conversores - ferramenta informática que adapta os textos ao AO - sejam desinstalados de todos os computadores da instituição."


Uma e outra medida são exageradas e falhas de bom senso. Não obstante, vêm de poderes ligados ao mesmo governo... O cidadão trabalhador que faça e desfaça as teias de Penélope, à vontade de suas excelências os burocratas, que nos querem formatados aos seus caprichos.


Moral da História: os trabalhadores de qualquer serviço ligado ao Centro Cultural de Belém escreverão obrigatoriamente à antiga; e para isso toca a desinstalar os conversores dos computadores. Poderá Vasco Graça Moura ir contra as instruções do governo que o empossou como diretor do CCB?


Os trabalhadores da Educação, não só escreverão tudo segundo o novo AO, como em letra Trebuchet MS 10 e com os logótipos do MEC. Não vi os anexos com as regras, mas quiçá as assinaturas deverão passar a ser digitais e daqui a nada seremos proibidos de usar nicks ou abreviaturas nos nossos endereços de e-mail.


Já faltou mais para um estado Orwelliano efetivo. Cuidado:"Big Brother is watching you!"
Sem comentários!

3 comentários:

  1. A mediocridade é sempre arrogante. Vasco Graça Moura é apenas mais um rosto de um país que não consegue descolar da pista da sua mediocridade endémica

    ResponderEliminar
  2. Não considero VGM medíocre, apenas muito conservador. E como todos aqueles que são excessivamente conservadores, tem certamente muitas dificuldades em aceitar a mudança e alguma tendência para ditador.

    ResponderEliminar