domingo, 12 de fevereiro de 2012

Whitney Houston, 1963-2012


Whitney Houston, dona de uma lindíssima voz e senhora de grande beleza, morreu subitamente aos 48 anos de idade, na véspera da festa dos Grammy Awards para a qual tinha sido convidada.
Nascida numa família de cantoras, como Cissy Houston, sua mãe e cantora de Gospel, ou Dionne Warwick, sua tia, com quem se habituou a cantar desde cedo no coro da Igreja, Whitney ainda era afilhada de Aretha Franklin e só poderia também ser cantora.
Diz-se que o seu estilo inspirou outros nomes da música americana, como Mariah Carey, Christina Aguilera ou mesmo Beyoncé. Talvez com menos produção mas mais voz, para mim Whitney era a melhor cantora de soul da sua geração. 

Depois de uma carreira cheia de tops e 170 milhões de discos e vídeos vendidos, Whitney partiu após prolongada luta contra uma terrível dependência de drogas e álcool. 
Numa entrevista à cadeia de televisão ABC em 2002 Whitney foi questionada sobre quais os tipos de substâncias que consumia: cocaína, marijuana, álcool, comprimidos, ou todas elas. Whitney assumiu a sua dependência dizendo "once in a while", mas disse também, ainda com alguma esperança na sua recuperação: "I don't like to see myself as an addicted, but someone who had a bad habit that can be broken". Por fim concluiu reconhecendo ser ela própria "o seu melhor amigo mas também o seu pior inimigo".

Parece que a sua consciência do problema e a força de vontade não foram suficientes; desde há dois anos as suas aparições em palco foram rareando e a voz dando sinais de enfraquecimento. 
Recordo aqui uma canção inesquecível do filme "Bodyguard", de 1992, com Kevin Costner. Por estranha ironia, o seu corpo foi encontrado na banheira do quarto de Hotel pelo seu bodyguard...
A canção é da autoria de Dolly Parton e para mim uma das mais bonitas de sempre, em que a voz de Whitney atinge um patamar de perfeição. 
Rest in Peace.



Post atualizado às 15:30.

Sem comentários:

Enviar um comentário