sexta-feira, 28 de maio de 2010

Apetece desatar aos gritos

Apanhar uma virose que nos põe ko na pior altura do ano lectivo, com os testes por corrigir, as avaliações por fazer...

Fazer piruetas para conseguir dormir sem sucesso, tal o mal estar e as dores de cabeça...

Sair de casa que nem zombie ao fim de três dias, por imperativo médico, com pior aspecto do que se tivesse feito a noitada que os alunos fizeram no Rock in Rio-Lisboa e as pernas a não terem força nem para conduzir...

Ser "apanhada" na rua, no meio do barulho, com uma chamada da Escola no telemóvel, a convocar para entregar provas de recuperação urgentes, em 48 horas úteis, por causa de alunos que andaram todo o ano numa boa, sem se maçar a ir às aulas...

E uma outra voz, ali mesmo ao lado, a "lembrar" que é o último dia para a entrega do IRS...

"Então, doutora, está boa?"

Eu? Hein?

!?*#^/*+»+?!)*/&$%#"!!!!

6 comentários:

  1. Triste vida de professora…
    Está destinada a dias monótonos …
    Assistir a lenta morte da esperança em ver os resultados dos seus esforços... Os alunos não estudam, o telemóvel, o PC e a TV são mais cativantes.
    O prazer de ensinar transforma-se aos poucos em dever…
    Está condenada a destruir o sistema nervoso (in)voluntariamente…
    … A ineficácia dos pensadores contemporâneos no nosso quotidiano é palpável; a ignorância predomina… e espalha-se como se fosse uma epidemia.
    Interesso-me vivamente por pedagogia… sonho com a carreira de professora.
    Obrigada por escrever calorosamente no seu blog, você tem-me “mostrado” novas realidades, e, eu, aos poucos começo a repensar no meu futuro.

    Cumps,

    ResponderEliminar
  2. Põe-te boa depressinha. :)
    as melhoras amiga!
    beijinhos curativos

    ResponderEliminar
  3. Repense rapidamente.
    Do modo como a carreira está estruturada, aconselho-a a desistir de tal opção.
    A bem da sua saúde!

    ResponderEliminar
  4. Obrigada, Ema.
    Beijinhos também para ti.

    ResponderEliminar
  5. Uma colega contou-me que, no ano em que o chumbo automático por faltas injustificadas acabou, estava a explicar aos seus alunos como ia ser o novo sistema: medidas correctivas, provas de recuperação, etc., um aluno disse: "Boa, a gente balda-se e os professores é que se lixam!"
    Perspicaz, o rapaz.

    ResponderEliminar
  6. Sem dúvida!
    Esse e outros rapazes, perspicazes, e também algumas raparigas, embora em menor número, estão a tirar grande partido da situação. Perceberam que podem aproveitar-se do sistema e ainda gozam com o trabalho acrescido que vieram causar aos professores, que passaram a ser escravos dos alunos faltosos...
    É o que se chama verdadeiramente uma pouca-vergonha com cobertura legal!

    ResponderEliminar