segunda-feira, 24 de maio de 2010

Auto-retrato


"gostava de ser o vento,
correr entre as folhas caídas do outono,
assobiar maliciosamente entre os cabelos
abafando os medos e os pesadelos,
ser de mim próprio o dono,
ser eu a todo o momento.
mas não sei voar...
nem correndo rapido na imaginação,
nem tornando a folha num tapete mágico.
Sou somente em cada instante trágico
uma vírgula isolada numa escassa imensidão,
um ponto distante parado no ar.
Que me resta desta imagem fosca e fugidia
senão procurar o caminho real da vida
e deixar a imaginação lá no fundo escondida
entre as letras de qualquer libertina poesia..."


j.m.marques 2010

Pintura: Monet - árvores de inverno

2 comentários:

  1. Linda poesia, parabéns j.m.marques. Parabéns Helena! Tenham uma ótima semana, um bom dia, beijos ;)

    ResponderEliminar