domingo, 23 de janeiro de 2011

Soneto quase inédito


Aqui vos envio um pouco de poesia...
Bem que podia ter sido escrito ontem...
Tão actual em 1969, como hoje...

Soneto quase inédito

Surge Janeiro frio e pardacento,
Descem da serra os lobos ao povoado;
Assentam-se os fantoches em São Bento
E o Decreto da fome é publicado.

Edita-se a novela do Orçamento;
Cresce a miséria ao povo amordaçado;
Mas os biltres do novo parlamento

Usufruem seis contos de ordenado.

E enquanto à fome o povo se estiola,
Certo santo pupilo de Loyola,
Mistura de judeu e de vilão,

Também faz o pequeno "sacrifício"
De trinta contos - só! - por seu ofício
Receber, a bem dele... e da nação.

JOSÉ RÉGIO - Soneto escrito em 1969.

(Enviado por Becas)

1 comentário:

  1. Imensamente atual. Tudo se renova, tudo fica na mesma...
    Maria Fernanda

    ResponderEliminar