segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Valentim, santo e mártir

São Valentim baptizando Santa Lucília, por Jacopo Bassano, c. 1500

São Valentim (ou Valentinus em latim) é um santo reconhecido pelas Igrejas Católica e Ortodoxa que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, nos quais se celebra o Dia de São Valentim. Contudo, o nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.

A história parece referir-se ao bispo Valentim de Interamna (hoje, Terni), que no século III transgrediu as ordens do imperador Cláudio II, ou Claudius Gothicus, que proibiam o casamento durante as guerras acreditando que os solteiros se alistavam mais prontamente e eram melhores combatentes.

Mas a prática casamenteira foi descoberta e Valentim acabou preso e condenado à morte. Reza a lenda que, enquanto estava no cárcere, muitos jovens davam flores e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, apaixonou-se pela filha cega do carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Na véspera da execução, Valentim escreveu-lhe uma mensagem de adeus, assinada como “Do seu Valentim”...

São Valentim de Terni e discípulos, manuscrito do século XIV

Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte - 14 de Fevereiro do ano 270 - também marca a véspera de lupercais, festas anuais celebradas na Roma antiga em honra de Juno (deusa da mulher e do matrimónio) e de Pan (deus da natureza).


Na Idade Média, dizia-se que o dia 14 de Fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros. Por isso, os namorados da Idade Média usavam esta ocasião para deixar mensagens de amor na soleira da porta da amada.

A primeira associação do Dia de São Valentim ao amor romântico aparece em 1382 num texto poético de um certo Geoffrey Chaucer:

For this was on seynt Volantynys day
Whan euery bryd comyth there to chese his make.
["For this was Saint Valentine's Day, when every bird cometh there to choose his mate."]

Contudo, é duvidoso que ele se referisse a 14 de Fevereiro, época improvável para o acasalamento de pássaros na Inglaterra!...

Geoffrey Chaucer, por Thomas Hoccleve, 1412

No século XVII, ingleses e franceses passaram a celebrar o Dia de São Valentim como a união do Dia dos Namorados. A data foi adoptada um século depois nos Estados Unidos, tornando-se o Valentine's Day.



O dia é hoje muito associado com a troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Estima-se que no mundo sejam mandados por ano, aproximadamente, um bilhão de cartões com mensagens românticas, tornando esse dia um dos mais lucrativos para o comércio.


Ilustrações e texto adapatado da Wikipédia por Luís Diferr

2 comentários:

  1. Gostei muito. Nunca me tinha debruçado sobre este tema, que para mim é relativamente moderno...O conhecimento é sempre enriquecedor.
    Abraço
    TitaFan

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que gostou. Deu algum trabalho a pesquisar, filtrar a informação e depois traduzir e adaptar para que a história fique não só perceptível, como faça algum sentido.
    Gostei de o fazer, agora que a "editora responsável" está indisponível por doença e me solicitou estas "funções interinas"...
    Obrigada e um abraço.

    ResponderEliminar