sábado, 21 de novembro de 2009

Intervenção de Ana Drago na AR colocava os pontos nos ii antes de perder na votação



Ana Drago sintetizou nesta intervenção antes da aprovação da Resolução do PSD, aquilo que é a minha convicção e de muitos outros colegas: no processo de Avaliação de Desempenho Docente que vai cessar, duas condições devem ser respeitadas:

1. Que os professores que se opuseram a este modelo por considerá-lo injusto e desadequado não sejam por qualquer forma prejudicados;

2. Que os professores que foram avaliados com classificações de Muito Bom e Excelente não possam obter quaisquer benefícios sobre os outros, ultrapassando-os nos Concursos ou na progressão na Carreira.

Já que este modelo caiu de podre, então que caiam também os seus efeitos: que não acarrete prejuízos nem benefícios e se faça reset sobre a defunta legislação.

O deputado do PSD Paulo Rangel, uma das pessoas em cuja honestidade acreditei quando assumiu o Compromisso-Educação, e se ainda hoje estivesse no Parlamento, não teria certamente onde enfiar a cara de vergonha.

Vergonha essa que Manuela Ferreira Leite não tem, em fazer da Verdade a sua bandeira eleitoral, para logo a seguir à obtenção dos votos de muitos professores, recuar nos compromissos assumidos, substituindo as reivindicações por esta versão light e conciliadora.

1 comentário: