quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Com mil demónios!


Como se não bastassem os danos causados pelos vírus e bactérias a que nos sujeitamos no contacto diário com centenas de alunos, ainda temos de aturar a incrível ineficácia do Serviço Nacional de Saúde quando precisamos de justificar as faltas com papéis.

Neste país de faz-de-conta-que-é-moderno, de faz-de-conta-que-tem-um-plano-tecnológico e outras recursos afins, o mais que temos são lendas, porque depois na prática tudo ou muita coisa falha.

Centros de Saúde à beira da ruptura, onde há poucos médicos para milhares de doentes e quando algum falta (porque é humano e também adoece!) não há nenhum para o substituir, onde se espera quatro horas, (se tiver a sorte de o seu médico ainda não ter enlouquecido, arranjado úlceras de stress ou uma hérnia discal e estar de baixa há um ano), ou se tem de ir às 6 da manhã para arranjar uma consulta...

... apetece-me dizer 'Sistema Nacional de Saúde, qual saúde?'
Raios partam tanta ineficácia junta!

6 comentários:

  1. Na verdade Lelé, nós não temos um país mas vários que funcionam de forma muito diferente.
    O Serviço Nacional de saúde não foge a esta regra. "Conheço" um posto que funciona muito bem... "conheço" um que é a maior balda que possas imaginar!
    Ora isto não deveria ser possível... mas é.
    Vai daí o nosso país é, em vários sectores, um país de faz de conta...
    As melhoras para ti!
    beijocas

    ResponderEliminar
  2. Pela veemência vê-se que já está a melhorar.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
  3. Não é bem verdade, Tacci.

    Se não estivesse doente, estaria talvez na Festa de Babette do Eleven, não porque faz hoje 28 anos que entrei na "Carreira"(?) docente, mas porque caíu a impostura dos titulares.

    Mesmo que a seguir queiram trocar isso por uma maçã envenenada com funis no acesso a três dos escalões, o que pode ser ainda mais perverso, só por si deixar de haver duas classes de professores, já merece comemoração.

    E depois porque gosto de armar em extravagante e fazer de conta que sou rica uma vez por ano...

    Abraços (os beijinhos trazem perdigotos com gripe!).

    ResponderEliminar
  4. Obrigada, Anabela!

    Se visses a minha mesa do PC, são caixas de lenços, termómetro, garrafa de água e os olhos a meia-haste. Só venho aqui aos bocadinhos. Faz-me aumentar a temperatura e a dor de cabeça.

    Beijocas só mesmo se forem virtuais nestes tempos de gripe.

    Por enquanto é mais prudente mandar só um abraço, querida amiga.

    Até amanhã.

    ResponderEliminar
  5. Só te quero desejar as melhoras. Rápidas.
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  6. Obrigada, amiga Ema.

    As gripes são em geral muito depauperantes, mas poucas vezes são realmente perigosas.

    Este ano, como a situação é especial, temos de ser mais cautelosos.

    Tenho muitos alunos infectados e pelo febrão com que isto começou, não me admiraria muito se fôsse a A...

    ResponderEliminar