terça-feira, 14 de julho de 2009

Os treze pirilampos


Era uma vez treze pirilampos que se cruzaram numa curva de um caminho tortuoso e decidiram juntar as suas ténues luzinhas num laborioso percurso intelectual.

Atravessando muitas jornadas debaixo de calor intenso, subiram da antiga Torre de Babel até ao Éter da Blogosfera, passearam-se pela fantasia mágica de pinturas evocativas da História dos Homens e percorreram o labor do seu pensar, desbravar e entender as coisas do mundo.

No fim desta viagem os pirilampos mais pareciam faróis, e, tal era a intensidade da sua luz, que selaram promessas de não deixar esmorecer nunca mais o seu brilho.

Aos meus colegas e à minha orientadora, neste dia muito especial.

2 comentários:

  1. Tenho o privilégio especial de ser o primeiro a agradecer a lembrança. Foi, com efeito, algo custoso de início mas, com o tempo, foi-se tornando prazenteiro este caminhar. Lá das montanhas mais a norte, olharei para este momento com uma saudade especial.
    Obrigado Lelé. Obrigado aos restantes, primus inter pares.

    ResponderEliminar
  2. Sputland!

    Ficarás para sempre na minha memória como uma gratíssima companhia de estrada.

    Quanto às montanhas, never mind! É nos bosques que os pirilampos habitam!

    Keep in touch!

    Abraço grande.

    ResponderEliminar