sexta-feira, 9 de março de 2012

Dia Internacional da Mulher, história mal contada?


Está muito difundida uma informação que situa a origem do Dia da Mulher como estando relacionada com uma greve no dia 8 de março de 1857 numa fábrica de New York. 
As operárias têxteis teriam ocupado a fábrica para reivindicar a redução do horário de trabalho de 16 para 10 horas diárias. Essas mulheres recebiam menos de um terço do salário dos homens e teriam sido fechadas dentro da fábrica onde, entretanto, deflagrou um incêndio, tendo ali morrido queimadas 129 delas.

Esta tese é contestada por estudiosos do assunto, que dizem que esse relato é um mito e que nada tem a ver com o que se conhece hoje como o Dia da Mulher; afirma-se então que a tal greve de 1857 nunca existiu. Atribuem sim a origem desta comemoração ao Movimento das Sufragistas, entre 1900 e 1907, que lutaram pelo direito ao voto das mulheres nos EUA e na Inglaterra.

Em 1908 e 1909, em Chicago, nos EUA, é celebrado pela primeira vez o Woman's Day; ele é dinamizado respetivamente pela Federação Autónoma de Mulheres e pelo Partido Socialista Americano, que torna a convocá-lo em 1010, desta vez também em New York.

Nesta cidade a participação no Woman's Day foi grande, sobretudo por parte de operárias têxteis que estavam em greve. Dos 30.000 grevistas, 80% eram mulheres e essa greve, com a duração de três meses, haveria de terminar na véspera do Woman's Day

Em 1911 houve uma nova greve de operários têxteis em New York, tendo-se registado um incêndio por falta de condições de segurança e do qual resultou a morte de 134 grevistas. Nesse ano na Alemanha, comemorava-se o Dia da Mulher a 19 de março, data que foi seguida na Dinamarca e na Suécia; na Rússia foi comemorado pela primeira vez em 1913.

Em 1921 a Conferência das Mulheres Comunistas aprova, na 3ª Internacional, a comemoração do Dia Internacional da Mulher, celebrado a partir de 1922 a 8 de março, em homenagem a todas as mulheres que lutaram por melhores condições de trabalho e pela igualdade de direitos. 

Em 1975-85 é decretada pela ONU a "Década da Mulher" e a data de 8 de março foi oficialmente estabelecida para a comemoração do "Dia Internacional da Mulher". 
Em 1977 a UNESCO torna a publicar a versão das 129 grevistas têxteis fechadas na fábrica e queimadas vivas em 1857. 

E assim se fecha o círculo que nos faz voltar ao início desta história. Qual a verdade?
E depois ainda dizem que os filósofos é que não se entendem uns com os outros! 

Mais detalhes aqui, num documento divulgado pela UMAR.

2 comentários: