sexta-feira, 16 de março de 2012

George Clooney preso por boa causa



Ele não é apenas um belíssimo homem e um grande ator; é também um excelente ser humano. Tem-se envolvido em sérias causas pelos direitos humanos, como no caso do Darfour e do Sudão do Sul. 
Hoje exigia, com outros ativistas, junto à Embaixada sudanesa em Washington, o fim dos massacres sobre o povo, que sofre fome, violações e emboscadas com minas. 
George Clooney foi preso pela polícia, algemado com as mãos atrás das costas e metido num carro celular, assim como o seu pai, o jornalista Nick Clooney e Martin Luther King III. Por desacato às autoridades, dizem eles. Vai a julgamento e será condenado a pagar uma multa. Mas terá valido a pena, pois, pelo menos conseguiu fazer-se ouvir nas televisões do mundo.
De vez em quando na História, há um filho da puta que se lembra de fazer "limpezas étnicas" e é evidente que nesses casos pessoas como Clooney, que vão ao terreno, se tornam testemunhas bastante incómodas. Mas ele não desiste; ainda ontem jantou com Barack Obama e James Cameron, na Casa Branca, aproveitando para falar destes assuntos e do papel que, no seu entender, a China deveria assumir na luta pela paz mundial.



George Clooney está envolvido no Enough Project, com John Prendergast, co-fundador desta ONG, com o propósito de combater crimes contra a humanidade, onde quer que eles existam.
What else, George?


2 comentários:

  1. Penso que a prisão de Clooney não belisca minimamente a sua dignidade e chama mais a atenção mundial para o problema. Ele sabe o que faz!
    M.F.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há certos tipos de prisão, que em vez de serem motivos de vergonha, são motivos de orgulho. Penso que é o caso.

      Eliminar