quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Violência talibã contra as mulheres





Mais um testemunho irrefutável da violência talibã contra as mulheres no Afeganistão.
Aisha, agora com 18 anos, tentou fugir do marido, que para a castigar, a mutilou cortando-lhe (ao que se sabe) as orelhas e o nariz.

A jovem tinha sido "oferecida" em casamento aos 12 anos como pagamento de uma dívida...
Agora nos EUA, recebeu uma prótese para o nariz, que deverá ser reconstruído através de cirurgia plástica daqui a uns meses, assim como as orelhas.

Aisha, mesmo sem saber ler nem escrever (as mulheres não têm direito à instrução) acabou por  viver durante 10 meses num refúgio em local secreto de Kabul, depois de ter sido socorrida por militares norte-americanos e ser encaminhada para os EUA para fazer uma série de cirurgias de reconstrução.

Esperemos que dessa forma a jovem recupere um pouco da sua auto-estima pela reconstrução possível da sua cara. Não nos esqueçamos que o rosto é a nossa primeira imagem identitária.
Quanto às feridas da alma, essas, tenho dúvidas de que alguma vez possam sarar...

Enquanto houver países onde se considera as mulheres como moeda de troca e propriedade dos homens, a violência e os atentados aos direitos humanos não cessarão de fazer vítimas.

Aisha acaba de ser condecorada por Maria Shriver, a mulher do governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, com o prémio "Enduiring Heart" que destacou a importância de se "ter amor e um coração forte".



Pode ler mais sobre este caso aqui.

3 comentários:

  1. Ces photos sont terribles!
    Je suis sans voix.

    ResponderEliminar
  2. Terribles les photos et terrible la realité.

    ResponderEliminar
  3. Nous sommes toujours forcées a regarder ces images...
    P.D.

    ResponderEliminar