quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Monárquicos na República de hoje


A monarquia ainda não se conformou com a implantação da República, embora ela já tenha acontecido há 100 anos.
E por isso rumaram até ao Castelo de Guimarães, no dia em que se comemorou o centenário da República, algumas centenas de cidadãos.
Saudosos do antigo regime de suas majestades, os cidadãos, uns mais do povo, outros mais com ar de aristocratas, lá deram vivas a D. Duarte Pio de Bragança, que desfilou pelos paços acompanhado da sua Isabelinha de Herédia.
Aclamando o Duque como D. Duarte III, Rei de Portugal, assim mediram o pulso ao fervor monárquico no berço da nacionalidade.
Menos sorte tiveram os rapazes da causa monárquica do Blogue 31 da Armada, que, aparecendo na Praça do Município em Lisboa na altura dos discursos oficiais com o rosto coberto com máscaras do Darth Vador, acabaram por ser uma minoria insignificante frente a todo o entusiasmo republicano.
Um dos raros elementos que descobriu a cara para a câmara de televisão acabou por confessar "a esquerda é que é a boazinha, nós somos da direita, logo, aparecemos aqui como o Lado Negro da Força".
Na Praça do Minicípio, junto à Câmara Municipal juntaram-se políticos, artistas (o grupo de Teatro O Bando mobilizou 500 actores e figurantes) e muito povo anónimo.
O 31 da Armada, com ou sem Darth Vador, não é nada.
O D. Duarte Pio ainda pode ser qualquer coisa. Mas, seguramente, não Rei de Portugal!

Sem comentários:

Enviar um comentário