sábado, 18 de junho de 2011

Espere-se coerência, mas não milagres

A APEDE, mais uma vez faz a lúcida chamada de atenção que se impõe. Num texto intitulado "É desta que o eduquês leva com a merecida barrela?" fala das expectativas que devemos ter (ou daquelas que não podemos ter) a respeito do mandato do novo ministro da Educação, Ciência e Ensino Superior, Nuno Crato.
Subscrevo as expectativas positivas, mas cautelosas. Ninguém, por melhores intenções que tenha, o que acredito seja o caso, pode fazer milagres, quando, à cabeça entra a governar espartilhado por férreas medidas de contenção económica, impostas pelo FMI. Duvidem pois, colegas professores, do descongelamento do tempo de serviço roubado, da progressão na carreira há anos travada (no meu caso há 9 anos no mesmo escalão) etc, etc, etc.

A ler aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário