sexta-feira, 24 de abril de 2009

A propósito do caos nas Universidades Francesas


...Ah ! Nem se fala disto, não fosse alguém inspirar-se...

“A França está à beira de uma revolta social generalizada. Ontem, os trabalhadores de uma fábrica de pneus da Continental destruíram as instalações e os equipamentos quando souberem que ia haver um despedimento colectivo. As Universidades francesas estão paradas há três meses. A revolta dos estudantes e dos professores é geral. Há vários meses que se registam manifestações de estudantes e professores em todas as maiores cidades francesas. Muitas dessas manifestações têm sido acompanhadas de confrontos violentos com as forças policiais. Nos últimos dias, a escalada da revolta estudantil subiu de patamar com o sequestro de reitores, destruição de equipamentos escolares e centenas de estudantes barricados dentro das instalações das universidades. Em Portugal, reina a calmaria nas universidades e institutos politécnicos, apesar de haver centenas de alunos a desistirem dos cursos por falta de dinheiro e de o Governo ter aprovado um projecto de lei de carreiras do ensino superior que vai reduzir, em 30%, o vencimento de uma percentagem de docentes que oscila entre os 30 e os 70%.
O Governo do Presidente Nicolas Sarkozy , um tonto, ridículo e caprichoso pinga-amor, anunciou a perseguição judicial dos trabalhadores da fábrica da Continental. Os trabalhadores cometeram um erro que lhes vai custar caro: destruíram a fábrica de cara destapada, em consequência de um impulso provocado pela revolta, fúria e frustração”.

Ramiro Marques em Profavaliação, Quinta-feira, 23 de Abril de 2009

___________________________________________________

“Comentando a notícia, nós não somos assim, depois de uma grande luta (manifestação com 120 000), em que cerca de 90% era contra a entrega dos Objectivos Individuais e que exigia a revogação do ECD, acabamos por ceder: 65% entregou os OIs.
Os franceses em luta nada têm em comum com os portugueses...
Há cerca de um ano, por ter havido uma luta social em França, que durou 15 dias consecutivos e, por este motivo, o governo francês voltou atrás, Marcelo Rebelo de Sousa disse que os franceses não sabiam contestar, ou algo semelhante. Isto é um político a falar e a tentar convencer os portugueses que não devem lutar. De notar que ele é PSD e a luta é contra o PS. Esta é a opinião de um político e de um partido. No entanto, ele nem precisa de lançar estas "postas de bacalhau" porque o povo português é um rebanho de cordeirinhos e os franceses são uma matilha de lobos. Não estou a denegrir os franceses, antes pelo contrário, os verdadeiros lobos não são "lobos maus", são organizados, existe hierarquia, só atacam quando é necessário e, normalmente, são discretos e não se metem com ninguém, a não ser que se sintam ameaçados...”

O que não sabe pensar
(Comentário recebido por e-mail)

Foto: José A. Gallego

Sem comentários:

Enviar um comentário