segunda-feira, 4 de maio de 2009

Correio da Manhã - curtas sobre Educação


"Uma das coisas que nos devia preocupar e deixar inquietos é a balbúrdia em que se transformou o Ministério da Educação – fábrica de estatísticas e instrumento de propaganda básica. Uma pena. Uma pena para a educação, para o ensino e para a decência.

Com tanto tempo ocupado a fazer política e propaganda, a promover inquéritos disciplinares e a conspirar, é natural que ao Ministério sobre pouco tempo para pensar em assuntos sérios que ultrapassem o tempo imediato e as necessidade do actual ciclo eleitoral. O episódio dos ‘Magalhães’ em Castelo de Vide é um triste acontecimento que o pedido de desculpas do primeiro-ministro não explica nem resume: a confusão entre o partido e o Estado, o Ministério como instrumento do partido. E uma amostra da miséria intelectual reinante".

Francisco José Viegas

----------------------------------------------------------------------

Providência cautelar - Professores sem objectivos serão avaliados

"Os professores que não entregaram os objectivos individuais poderão ser avaliados.
Segundo a Federação Nacional dos Professores (Fenprof), a sentença de ontem do Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra termina com as situações de desigualdade entre professores, quando os presidentes do conselho executivo de algumas escolas recusavam avaliar os docentes por estes não terem proposto os seus objectivos individuais. "Agora os conselhos executivos não podem recusar avaliar os professores", explicou Mário Nogueira, líder da Fenprof."

Correio da Manhã, 01 Maio 2009 - 00h30

Sem comentários:

Enviar um comentário