sábado, 12 de junho de 2010

25 anos de adesão de Portugal à CEE



Com direito às mais altas personalidades "europeístas", acabam de ter lugar as comemorações dos 25 anos da adesão de Portugal à então denominada Comunidade Económica Europeia.

Mário Soares e Filipe Gonzalez, que assinaram o acordo de adesão, estiveram entre essas personalidades, assim como o general Ramalho Eanes e os dois primeiros ministros actuais, José Sócrates e José Luís Zapatero.

O discurso de encerramento coube a Cavaco Silva e centrou-se nas vantagens adquiridas, no crescimento económico dos últimos 25 anos e na necessidade da continuação da cooperação com a União Europeia.

Desde a primeira hora fui favorável à integração, penso que existem nela muitas vantagens, não só de índole económica, mas também cultural e considero útil a livre circulação de pessoas, bens e serviços dentro do espaço europeu.

Não raras vezes os meus alunos e colegas têm feito intercâmbio de experiências estudantis ou formação no âmbito de programas existentes para esse fim, como o Erasmus, o Comenius e outros.

Agrada-me a moeda única quando viajo e é confortável saber que com um cartão português, se adoecer, tenho direito a assistência hospitalar nos países do espaço comunitário.

Além disso, fiquei farta das histórias do isolamento e do fechamento em que o país vivia no tempo dos meus pais e avós, e do consequente atraso que isso acarretou a todos os níveis para Portugal.


2 comentários:

  1. Uma data que TEM de ser celebrada! Muito do que somos hoje, devemo-lo à Europa!

    ResponderEliminar
  2. Mesmo quando toda a esquerda bramia argumentos contra a adesão à Comunidade Económica Europeia, eu já era a favor. Sempre pensei e continuo a pensar que trouxe muitas vantagens. Penso e sinto-me como europeia e apelei várias vezes nas páginas deste Blogue a que as pessoas não se abstivessem de participar nas eleições europeias de 2009.
    Muito do que se passa aqui é na verdade decidido a nível europeu, sem que disso nos apercebamos.

    ResponderEliminar