quarta-feira, 17 de junho de 2009

A questão sensível da Ficha de Auto-Avaliação 4


NOVIDADES FRESCAS DA DEGRHE

De: DGRHE.MEducacao@dgrhe.min-edu.pt
[mailto:DGRHE.MEducacao@dgrhe.min-edu.pt]
Enviada: terça-feira, 16 de Junho de 2009 10:04
Cc: recipient list not shown:
Assunto: Avaliação de desempenho dos docentes –
Ferramenta de apoio ao preenchimento das fichas

“Exmo. Senhor Director
Correspondendo ao pedido das escolas, a DGRHE disponibilizará, durante esta semana, no seu site, uma ferramenta de apoio ao preenchimento das fichas correspondentes ao processo de avaliação de desempenho dos docentes, bem com algumas orientações sobre a sua utilização.

Importa desde já referir que:
1. As fichas de avaliação (componente científico-pedagógica e funcional) e de auto-avaliação são simples documentos de escrita, que apenas podem ser impressas e/ou gravadas no computador de cada utilizador. A informação nelas contida não será, portanto, arquivada em qualquer sistema informático, apenas ficará disponível ao respectivo utilizador, desde que gravada no seu computador pessoal.
2. Durante esta semana ficarão já disponíveis as fichas de auto-avaliação.
3. Ficará também disponível um simulador de quotas que prevê a situação específica de cada agrupamento de escolas / escola não agrupada.
4. As fichas de avaliação a utilizar pelos avaliadores, dada a sua maior especificidade, apenas estarão acessíveis após as breves sessões de formação destinadas a Directores e a outros avaliadores, que serão, desde já, dinamizadas pelos Centros de Formação de Associação de Escolas.

Com os melhores cumprimentos
Direcção Geral de Recursos Humanos (DGRHE)”


-------------------------------------------

QUESTÕES MUITO PERTINENTES DE PAULO GUINOTE

(...) 1 • "Como é possível um profissional autoavaliar o seu desempenho antes do mesmo ter chegado ao fim de uma das suas principais fases? Como é possível um professor fazer a sua autoavaliação quando as aulas nem sequer acabaram, as reuniões de avaliação por fazer, vigilâncias de exames, de serem conhecidos os resultados de provas de aferição ou sequer de ter começado a desempenhar as suas tarefas pós-lectivas? Parece estranho mas é o que ocorre em escolas e agrupamentos que pediram a entrega da ficha de auto-avaliação aos seus docentes durante a primeira quinzena de Junho, ou até ao final desta semana ou mesmo da próxima.

2 • Do mesmo modo, como é possível a um profissional acompanhar devidamente o seu processo de avaliação e classificação, se lhe pedirem a dita autoavaliação quando já está a exercer em outra escola e/ou agrupamento? Ou então – em alternativa mais risível – quando lhe pedem isso para a data limite destinada legalmente para todo o processo – prazos de recurso incluídos – estar concluído? Será que já repararam que, nesse caso, o resultado final da avaliação já cairá em Fevereiro de 2010, penalizando ainda mais os docentes que já deveriam ter progredido na carreira, mesmo pelas novas regras, durante os primeiros meses de 2009 e ficam praticamente um ano à espera disso?" (...)

Posted by Paulo Guinote in A Educação do Meu Umbigo, Junho 16, 2009

Para ler o texto completo clique aqui.

Meu Comentário:

Ainda e sempre no seu melhor estilo, o Ministério da Educação altera as regras do jogo em cima dos prazos, com a leviandade a que já nos veio habituando ao longo de quatro longos anos.

Parece que naquela casa não há qualquer planeamento a longo prazo e reina a anarquia. Não faz mal se as etapas deste tenebroso processo de Avaliação/Progressão se encavalitarem umas por cima das outras, pois isto é o "reino do logo se vê"!

E querem que levemos a sério ESTA Avaliação?

Ainda ontem José Sócrates afirmava a necessidade de voltar a pedir aos portugueses uma maioria absoluta "para poder governar sozinho"...
Comigo e com muitos milhares de professores, não contem, cansados que estamos da falta de respeito com que temos vindo a ser sistematicamente tratados!

Sem comentários:

Enviar um comentário